sexta-feira, 9 de abril de 2010

Livros Proféticos - O LIVRO DE DANIEL

O Nome de Daniel.
Este nome significa "Deus é meu juiz, ou Deus é juiz". Dan significa "juiz", e El significa "Deus".

Autor do Livro.
Daniel, o nome dele é falado na primeira pessoa neste livro. Observe os versículos: 7:2, 15, 28; 8:1, 15, 27; 9:2, 23; 10:2, 7, 11-12; 12:5. Também Jesus Cristo confirmou isto em Mateus 24:15 e Marcos 13:14.

Os críticos dizem que este livro foi escrito acera de 165 a. C. por um homem desconhecido. Dizem eles, que este homem desconhecido, escreveu o livro com o propósito de encorajar e animar os judeus no tempo dos Macabeus. Esta data fica no período de tempo entre os Velho e Novo Testamentos. Esta data é mais ou menos 500 anos depois dos eventos do livro. Além disso, a Bíblia diz que foi Daniel que o escreveu. Todos têm que decidir, ou o livro de Daniel é uma falsificação e mentira, ou é exatamente o que Jesus Cristo falou que é, o livro que o profeta Daniel escreveu.

Data do Livro.
Um pouco menos do que o ano 600 a. C. O livro relata a vida e as revelações de Daniel entre os anos 605 e 530 a. C. É de Nabucodonosor a Ciro, ou de Jeremias a Esdras.

Fundo do Livro.
Nabucodonosor II era o rei da Babilônia, Nabucodonosor I estava velho e doente, e ele cercou Jerusalém em 606 a. C., no terceiro ano do reinado de Jeoiaquim (Daniel 1:1, II Crônicas 36:1-7) e conquistou Jerusalém. Foi neste ano que houve a primeira deportação dos judeus de Judá para a Babilônia (Daniel 1:2-4).

Língua.
O livro de Daniel está escrito em duas línguas diferentes: hebraico, que é a língua dos judeus, e aramaico que é a língua dos caldeus. De capítulo 2 e versículo 4 até ao fim do capítulo 7 este livro está escrito em aramaico. O resto do livro está escrito em hebraico. Capítulos 2-7 trata mais dos gentios e por isso faz todo sentido seria escrito em aramaico, porque Daniel estava no meio dos gentios (Caldeus). O resto do livro fala mais com os judeus e por isso está escrito em hebraico.

Esboço do Livro.
1. Introdução do Livro – a História Pessoal de Daniel e Outros. Cap. 1.
2. Tempo dos Gentios. Cap.2-7.
3. A Relação de Israel para com os Gentios. Cap. 8-12.

Idade de Daniel.
Parece que Daniel tinha entre 12 e 15 anos de idade quando foram levados cativos para a Babilônia. Os cativos chegaram na Babilônia no ano 606 a. C. e continuaram até o ano 539 ou 538 a. C. No fim do livro Daniel tinha mais de 80 anos de idade.

As Visões do Livro de Daniel.
1. A Visão do Rei Nabucodonosor. Capítulo 2.

Nabucodonosor recebeu esta visão durante o treinamento de Daniel depois que chegou na Babilônia (1:1, 5; 2:1). Nabucodonosor chamou os magos, astrólogos, encantadores e outros para não somente interpretar a visão, mas também dizer como é que ficou, sob a pena da morte, porque o rei esqueceu que foi que sonhou. Nenhum deles podia dizer a visão nem interpretá-la. Por isso, o rei decretou a morte deles. Mas, Daniel se apresentou como sendo capaz de dizer e interpretar a visão do rei, e foi isso mesmo que fez. Assim ele salvou as vidas dos outros e foi exaltado no reino dos caldeus.

Nabucodonosor viu na visão dele uma imagem. A imagem tinha uma cabeça de ouro, peito de prata, ventre e coxas de cobre, e pernas de ferro com pés de ferro e parte de barro.

Esta imagem fala dos quatro poderes mundiais começando com o Reino Babilônico.

1. Cabeça de ouro, que é Nabucodonosor e Babilônia. v. 32, 37-38.
2. Peito de prata, que é o Reino Medo-Persa. Este reino conquistou o Reino da Babilônia no ano 539 a. C. Os dois braços falam dos dois reinos dos Medos e Persas, que ficaram unidos para fazer um reino só. Este reino foi de qualidade inferior de governo, mas não de tamanho. Este foi o reino que estava no poder mundial quando o Velho Testamento terminou (Malaquias). v. 32, 39.
3. Ventre e coxas de cobre, que é o Reino de Grécia. O líder deste reino foi Alexandre o Grande. Ele conquistou o mundo conhecido de então no ano 331 a. C. Este reino se levantou e caiu no período de tempo entre os dois testamentos.
4. Pernas de ferro e pés de ferro e parte de barro, que é o Reino Romano. Este reino conquistou o Reino da Grécia no ano 146 a. C. Estava no poder mundial quando o Novo Testamento abriu. O ferro e barro fala do fato que o Reino Romano foi feito de várias nações, algumas fortes e outras fracas. O reino romano caiu por causa da sua ruína moral. Inferior em qualidade, mas muito forte e durou muito tempo. A cidade de Roma foi fundada no ano 753 a. C.

2. A Estátua de Ouro. Capítulo 3.
Esta estátua tinha quase 30 metros de altura com sua base de quase 3 metros de largura. Nabucodonosor fez esta imagem e mandou que todos orassem só a ela. Ele decretou que a pessoa que rejeitou orar a ela fosse jogada na fornalha. Os três filhos hebraicos (Sadraque, Mesaque e Abednego) recusaram orar a ela e por isso foram jogados na fornalha. Deus protegeu os três e nenhum cabelo foi queimado deles nem tinham o cheiro de fumaça na sua roupa. Uma quarta pessoa estava na fornalha com eles, foi o Senhor Jesus Cristo. Jesus Cristo pode proteger o seu pvo de todo mal, se for a vontade dEle. Isso pode estar falando simbolicamente do remanescente dos judeus de Israel na Grande Tribulação que Deus vai proteger de todo mal.

3. A Visão da Árvore. Capítulo 4.
Passou alguns 30 a 35 anos. Esta profecia falou da doença de Nabucodonosor que Deus deu a ele por causa da auto-exaltação e orgulho. Deus deixou ele ficou durante sete anos como um animal de campo. Esta doença é conhecida como Licantropia. Quando Deus deu de volta o entendimento a Nabucodonosor, ele deu louvor e glória a Deus. Deus sabe humilhar o orgulhoso.

4. A Visão dos Dedos de Mão Escrevendo na Parede. Capítulos 5-6.
O neto de Nabucodonosor, Belsazar, agora era o rei da Babilônia. Este evento está no fim do Reino Babilônico, 538 a. C. Daniel é um homem velho com mais de 80 anos. Deus deu a visão da mão escrevendo na parede avisando Belsazar que o reino ia ser tirado dele naquela mesma noite. O rei Dario da Pérsia conquistou o Reino Babilônico naquela mesma noite. O rei Dario decretou a proibição de orar para outro, só a ele mesmo somente durante 30 dias. Mas, Daniel continuou orando a Deus normalmente todo dia abertamente. Os acusadores de Daniel falaram isso com o rei para condená-lo. Por isso foi jogado na cova dos leões devoradores. Mas, Deus fechou as bocas dos leões e deu a vitória a Daniel. Então, o rei mandou jogar os acusadores de Daniel na cova dos leões, e no mesmo instante foram devorados. Note uma coisa importante. Daniel foi fiel a Deus, Deus o libertou, e os seus acusadores foram destruídos por Deus. Irmãos, devemos seguir nos mesmos passos de Daniel. Ser fiéis a Deus, e Deus nos libertará, e é só questão de tempo que Deus vai destruir nossos acusadores. Isso também é simbólico da salvação do remanescente dos judeus na Grande Tribulação.

5. A Visão dos Quatro Animais que subiram do Mar. Capítulo 7.
É a visão que Daniel recebeu durante o reinado de Belsazar. (553 a. C.) Deus revelou a Daniel como iam ficar os poderes mundiais.

1. O VENTO fala do poder soberano de Deus agindo e fazendo a vontade na terra.
2. O MAR fala da humanidade, os povos da terra, ou as massas das pessoas do mundo. (Apocalipse 17:15)
3. LEÃO. v. 4. É simbólico da nação de Babilônia. Era uma nação muito forte e poderosa. As asas falam da rapidez que tinha em conquistar outras nações com crueldade. Nabucodonosor ficou mais bondoso, compassivo e humildade depois da sua doença de ficar como um animal do campo durante sete anos. Por isso na visão fala que foi-lhe dado um coração de homem.
4. URSO. v. 5. É simbólico da nação de Medo-Persa. O urso tem muita força e poder, mais é mais devagar do que um leão. Um lado do urso ficou levantado (mais alto). Pérsia ficou mais forte do que a Média, mais eram unidos para fazer uma nação só. O urso tinha três costelas nos dentes. Isso fala do fato que três nações (Lídia, Babilônia e Egito) fizeram uma aliança contra Medo-Persa, mas foram destruídas pelo Medo-Persa. Diz que o urso devorou muita carne. É simbólico do fato que Medo-Persa conquistou muita terra e nação com crueldade, e ficou muito grande em tamanho. Era o poder mundial quando o Velho Testamento fechou.
5. LEOPARDO. v. 6. É simbólico da Grécia e Alexandre o Grande. Como o leopardo, a Grécia tinha mais majestade do que o leão e o urso, e rápido demais (mais rápido ainda porque tinha asas) e sanguinário e cruel. Em 12 anos só Alexandre o Grande conquistou o mundo conhecido. Mais Alexandre morreu novo com 32 anos de idade só. As quatro cabeças do leopardo falam do fato, que depois da morte de Alexandre o Grande, o Reino Grego foi divido entre quatro generais dele. Casandro – Grécia e Macedônia. Lisimacus – Trácia e a maior parte da Ásia Menor. Seleucus – Síria e uma grande parte do Oriente Médio. Ptolemeu – Egito. Esta história aconteceu inteiramente no período de tempo entre o Velho e o Novo Testamentos.
6. ANIMAL TERRÍVEL E ESPANTOSO. v. 7-8. É simbólico do Reino Romano. Roma tinha muita força, crueldade e pavor. Os dez chifres falam das dez nações (países) que serão unidas para fazer a Europa Unida nos dias do Anticristo. O chifre pequeno, que subiu no meio deles e conquistou três deles, fala do Anticristo que conquistará três destas nações (v. 9-28) e será o rei universal do mundo.

6. A Visão do Carneiro e do Bode. Capítulo 8.
Daniel recebeu esta visão dois anos depois da visão dos quatro animais.

1. O CARNEIRO DE DOIS CHIFRES. v. 3-4, 20. É simbóblico do Reino Medo-Persa. Um chifre ficou mais alto do que o outro, mostrando que a Pérsia ficou mais poderoso do que a Média, mas estas duas nações eram unidas para fazer uma nação só. É a mesma coisa que o urso mostrou com um lado mais levantado do que o outro. Como o carneiro desta visão, Medo-Persa conquistou muito povo e nação, e ninguém podia impedi-lo.
2. O BODE DE UM CHIFRE. v. 5-8, 21. É simbólico do Reino Grego sob a liderança de Alexandre o Grande. Alexandre o Grande conquistou o mundo conhecido com uma rapidez incrível (é isso que significa que não tocou no chão no v. 5). Grécia e Alexandre o Grande (o chifre insigne) conquistou Medo-Persa quebrando o seu poder (quebrando os seus dois chifres). O chifre grande (insigne) também depois foi quebrado. Isso fala da morte de Alexandre o Grande que houve enquanto era muito novo ainda. No lugar do chifre grande subiram quatro chifres. O reino dele foi dividido entre quatro generais dele. Isso foi falado antes na visão do leopardo. De um destes quatro chifres subiu um chifre pequeno. Este chifre pequeno fala de Antiocus Epifanes da Síria (175 –164 a. C.). Síria estava tomando a conta da Palestina naquela época. Antiocus Epifanes matou 80.000 judeus, vendeu 40.000 judeus na escravidão, poluiu o templo em Jerusalém sacrificando uma porca no altar. Foi uma das coisas que incitou a rebelião da família Macabeus naquela época. Os v. 23-26 indicam que Antiocus Epifanes é simbólico do Anticristo.

7. A Visão das Setenta Semanas. Capítulo 9.
Daniel recebeu esta visão no ano 536 ou 535 a. C, quando ele tinha mais de 80 anos de idade. (v.1). Daniel estava orando a Deus pela restauração de Israel a Palestina. O anjo Gabriel foi mandado por Deus a Daniel com esta visão. (v. 20-23). Esta visão fala das setenta semanas determinadas por Deus.

As setenta semanas falam simbolicamente de anos. Cada semana representa 7 anos, ou setenta setes de anos. As setenta semanas fazem o total de 490 anos. Este período de tempo começou com a época daquele tempo e terminará nos últimos dias. Nos v. 24-26 falam das setenta semanas sendo determinadas sobre o teu povo e sobre a santa cidade.

Com certeza está falando dos judeus e da cidade de Jerusalém. Isso quer dizer que Jerusalém ia ser reconstruída e depois o Messias vinha para fazer a expiação do seu povo. Esta passagem (v. 24-27) fala de sete semanas (49 anos), 62 semanas (434 anos), e uma semana (7 anos). Isso faz o total de 70 semanas (490 anos). Este tempo começa com a saída da ordem para restaurar e edificar Jerusalém. O rei Ciro de Medo-Persa deu a ordem de restaurar e edificar Jerusalém no 454 a. C. Da data desta ordem até que foi feito a restauração e edificação de Jerusalém levou sete semanas, 49 anos. Da restauração de Jerusalém até que o Messias (Jesus Cristo) foi cortado (crucificado) foi 62 semanas (434 anos). Isso nos leva a data em que Jesus Cristo foi crucificado em Jerusalém (30 d. C.). Isso faz o total de 69 semanas, ou 483 anos. Entre a semana 69 e a semana 70 tem um período de tempo indeterminado. No v. 26 diz: "até ao fim haverá guerra". Isso indica que depois de 69 semanas (483 anos) tem um tempo que não é determinado exatamente. É o tempo dos gentios, o tempo entre a crucificação e a Grande Tribulação em Mateus 24. A Grande Tribulação é um tempo de sete anos. É extamente isso que Daniel disse que resta, uma semana, ou sete anos (a semana 70). O v. 27 diz que o Anticristo firmará uma aliança com Israel por uma semana, ou sete anos (A Grande Tribulação). O Anticristo fará paz para Israel com as outras nações. Mas, no meio da semana, depois de 3 anos e meio, ele quebrará a aliança com Israel e revelará sua cara de verdade, que é contra Israel em todas as maneiras. Ele tentará controlar Israel e se sentará no templo lá e dizer que é Deus, e o mundo inteiro (exceto os eleitos) adorará o Anticristo como Deus mesmo. Observe Mateus 24:15 e II Tessalonicenses 2:2-3. Então, isso faz o total de 70 semanas ou 490 anos. Sete semanas ou 49 anos, 62 semanas ou 434 anos, e uma semana ou 7 anos.

8. A Visão da Glória do Senhor. Capítulo 10.
Esta visão é do Senhor Jesus Cristo mesmo. Observe algumas coisas sobre esta visão.

(1). v. 1. É 72 anos depois que Daniel foi levado cativo.
(2). v. 2-3. Note o efeito da visão em Daniel.
(3). v. 4-9. A visão do Senhor Jesus Cristo.
(4). v. 10-15. Gabriel falou com Daniel. Observe os v. 13 e 20.
(5). v. 16-21. Daniel foi fortificado pelo anjo para receber a visão.
Devemos observar que existe uma herarquia de anjos malignos (demônios, anjos caídos), com Satanás como o cabeça dela. Os versículos 13 e 20 indicam que há anjos malignos que são responsáveis para fazer e cumprir a vontade de Satanás no mundo. Por exemplo, nesta herarquia maligna existe anjos malignos que são responsáveis pelos países da terra. Um anjo (demônio) que fica na frente de cada país para guiar a maldade que acontece naquele país. Como se fossem os presidentes malignos de cada país. Depois deles tem outros anjos inferiores malignos que são responsáveis pelos estados do país, depois pelas cidades, e assim que vai, até chegar para aqueles anjos malignos piões.
Os anjos de Deus estão lutando contra a maldade deles. É que diz no versículo 13, quando diz que o príncipe da Pérsia (um anjo maligno bem alto na herarquia de Satanás) resistiu o arcanjo de Deus Gabriel durante vinte e um dias. A luta foi tão grande que o arcanjo Miguel foi ajudar Gabriel. Tudo isso faz perfeito senso. Porque os anjos de Deus fazem a vontade de Deus na terra, e os anjos de Satanás fazem a vontade de Satanás na terra. É só que o Senhor dos anjos de Deus (Jesus Cristo) é mais forte do que o senhor (Satanás) dos anjos malignos. Sem dúvida nenhuma, Jesus Cristo vencerá!

9. A Visão da História de Dario até o Fim. Capítulo 11.
(1). v. 1-2. Quatro reis da Pérsia que iam cair.
(2). v. 3-4. Grécia e Alexandre o Grande que ia se levantar e cair. Entre os Velho e Novo Testamentos.
(3). v. 5-20. A aliança entre o Egito e Síria até o tempo de Antiocus Epifanes.
(4). v. 21-35. Antiocus Epifanes – simbólico do Anticristo.
(5) v. 36-39. O Anticristo descrito. Note que diz que ele será sodomita (homossexual).
(6). v. 40-43. As conquistas do Anticristo na Grande Tribulação. Egito e outros países da África.
(7). v. 44-45. A Batalha Final (Armagedom). Anticristo derrotado em Jerusalém.

10. Continuação do Capítulo 11. Capítulo 12.
(1). v. 1. A Grande Tribulação – O Tempo de Angústia para Israel.
(2). v. 2-3. As Duas Ressurreições – Uma dos salvos e uma dos perdidos.
(3). v. 4-8. A Última Metade da Tribulação.
(4).v. 9-13. As Últimas Palavras do Livro de Daniel.


Autor: David Alfred Zuhars, Jr., Pr
Fonte: www.obreiroaprovado.com

2 comentários:

  1. Estou em tratamento de câncer a um ano e Deus através do Espírito Santo me inspirou a começar a me alimentar de alimentos crus, o chamado crudivorismo. Lendo a história de Daniel percebo que este personagem também lutou contra as potestades da época desta forma desafiando o rei Nabucodonosor. E tornando-se um jovem saudavel e inteligente, acredito que o deus deste século seja o dinheiro os interesses pessoais de poucos em detrimento dos direitos de muitos. As indústrias farmacêuticas,de laticínios e de fast-food comandam estimulam o consumo de alimentos e remédios,desestabilizando a saúde das massas provocando doenças como câncer,diabetes, doenças degenerativas, tumores de todas as espécies e nós os seguimos como carneirinhos obedientes indo para o matadouro. Porque preferimos andar segundo o mundo.

    ResponderExcluir
  2. amigo tem uma fruta que retarda o cancer se chama graviola ok e quem cura é jesus creia

    ResponderExcluir

Compartilhe

Leia também

Related Posts with Thumbnails