terça-feira, 8 de junho de 2010

Esboço para pregação - A DESMOTIVAÇÃO PARA SANTIFICAÇÃO

Texto Bíblico: Romanos 6.1-14

1. Lentas mudanças nos padrões morais.

Existe um sentimento de que “não adianta resistir às tentações”; Existe um esfriamento espiritual ocorrendo em muitos lugares que tiveram sua origem no cristianismo, por exemplo a Inglaterra que já foi um país cristão, hoje tem apenas 2% de sua população que se declara cristã.

O exemplo da rã: se ela for jogada em uma chaleira de água quente, pulará fora imediatamente, mas se for colocada na água fria e for esquentando aos poucos, nem perceberá quando se transformar em cozido de rã. Será que estamos nos comportando como a rã na chaleira, sem perceber as armadilhas que o inimigo nos colocou?

Na Inglaterra, como também nos estados Unidos, comenta um escritor norte-americano chamado George Barna, tem sofrido mudanças lentas de queda de padrão ético e moral, no somente no meio secular, mas também entre as igrejas. A Europa vive hoje um período pós-cristianismo, onde poucos se voltam para a Bíblia. E o nosso país? Será uma exceção?

A desmotivação para a santificação é um sinal claro de que estamos sendo “cozidos em fogo brando” por Satanás, achando que “está tudo normal, pois hoje em dia o mundo é assim mesmo...”

2. Desvalorizando o significado de “pecado”.

Existe nos nossos dias, o costume de “minimizar” o PECADO e seus efeitos. Até em algumas igrejas não se usa mais o termo “pecado”, soa muito pesado, espanta as pessoas dos cultos, então se usa termos como: deslize, vacilo...

Sem dúvida, devemos concordar com a realidade de que “Deus ama o pecador”, mas não podemos nos esquecer de que ele “odeia o pecado”. Não podemos lembras só da primeira frase e achar que o Senhor não se importa com o nosso pecado por tanto nos ama.

Este tipo de atitude é efeito de uma filosofia cada vez mais “humanista”, que tem invadido escolas, mídia escrita e falada, e que acaba afetando valores dentro das igrejas. A filosofia HUMANISTA, coloca o HOMEM como o CENTRO de todas as coisas mais importantes da vida. As SOLUÇÕES para os problemas do mundo em que vivemos, depende EXCLUSIVAMENTE do HOMEM e de sua capacitação para resolvê-los. Não estão nem um pouco interessados em saber O QUE DEUS PENSA, a respeito de qualquer assunto. Ramificações desta “Filosofia Humanista”, chegaram a afirmar que “DEUS ESTÁ MORTO!”.

Assim, quando O HOMEM PECA, há uma DESVALORIZAÇÃO do significado do PECADO, dando a entender que “houve um ACIDENTE de percurso” e que o erro cometido “não foi tão grave assim”.
Ao mesmo tempo em que se desvaloriza o pecado, há uma SUPERVALORIZAÇÃO excessiva, quanto ao papel do ser humano, como JUIZ DE SI MESMO. Temos que chamar PECADO de PECADO! Não dá pra “disfarçar” quando erramos. Quando dizemos que “Jesus é Senhor” das nossas vidas, isto que dizer que DEUS É O CENTRO das nossas vidas, e não A MINHA VONTADE. Devermos assumir as nossas faltas diante do senhor, através do ARREPENDIMENTO, CONFISSÃO e AFASTAMENTO do PECADO. Diante do VERDADEIRO ARREPENDIMENTO, Ele responde através do apóstolo João em 1 Jo 1.9: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça”.

3. Chega de desculpas para continuar pecando.

Temos um Deus maravilhoso, que quer RECUPERAR o pecador. Sua GRAÇA (cujo sentido é “presente que não merecemos”) é derramada, pois a intenção do senhor é a nossa RESTAURAÇÃO. Mas, tem gente que ABUSA DA GRAÇA de Deus! A argumentação destas pessoas é: “Já que Deus vai perdoar, então vamos pecar à vontade!” CUIDADO: DEUS NÃO É TÃO INGÊNUO QUANTO ALGUNS PENSAM! Não foi para este tipo de atitude que Deus nos chamou. Aliás, quando ouvimos um pensamento deste tipo, somos levados a no mínimo “desconfiar” da real conversão desta pessoa.

Veja o que Paulo nos diz sobre este assunto:
Romanos 6.1-2: “QUE diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele?”
Romanos 6.23: “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor”.

4. O lento afastamento da palavra de Deus.

Pv 29.18: “Não havendo profecia o povo se corrompe”. Perdendo a referência na verdade absoluta da Palavra de Deus, as pessoas seguem por seus próprios caminhos aqueles que lhes forem mais convenientes.

5. As pessoas também têm culpa.

Mas, por mais que existam pessoas capacitadas para pregarem a Palavra de Deus e ensiná-la no sentido de auxiliar as pessoas a andarem no caminho da santificação, e por mais que o evangelho esteja sendo pregado, há uma parcela de culpa que cabe às próprias pessoas: muitos não querem ser santos, por opção própria!

6. Está na hora de decidir mudar.

Cabe a nós decidir se vamos aceitar estas mudanças no mundo ao nosso redor e nos deixar levar também por um esfriamento através da desmotivação, para não se andar no caminho santificação, ou se vamos buscar a santificação em Deus, para andarmos em intimidade com o Pai.

Muitas pessoas têm receio quando se fala do assunto santificação, por não conhecerem a Deus de maneira profunda, por não conhecerem o que é santificação, mas este é o processo de Deus para tua vida como cristão, pois, como o autor de Hebreus nos diz no cap. 14, vers. 12: “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Leia também

Related Posts with Thumbnails