sábado, 17 de julho de 2010

História Bíblica do AT - A ESPÉCIE HUMANA SENTENCIADA À DESTRUIÇÃO

Gênesis 6:1-13

Vimos, nas lições anteriores, a criação do homem, sua queda e seu estado de caído. Vimos o progresso econômico e, ainda, a regressão espiritual. Não aprendemos apenas sobre a depravação do coração humano, aprendemos que houve uma progressão anti-Deus até o estado onde Deus proclamou que "toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente".

É nessa visão que encontramos Deus dizendo: "destruirei o homem que criei de sobre a face da terra". Este é o julgamento divino. "Deus disse". Este é o julgamento justo: "Toda vida corrompeu seu caminho". Este foi o julgamento oportuno: "que eu criei". Este foi o julgamento irresistível: "Eu destruirei".

Nunca veremos a beleza e a grandiosidade da graça até que vejamos a justiça do julgamento divino. Se nosso coração apaga-se em simpatia por aquela civilização incrédula, nossas mentes serão ocupadas com a questão: "Por que apenas oito salvos?". Por outro lado, se virmos aquelas pessoas como sendo brutas e absolutamente desprezíveis para que Deus foi gloriosamente justo ao destruir todos eles, então seremos preenchidos com louvor quando dissermos "Mas Noé encontrou graça nos olhos do Senhor".

Outra grande verdade que devemos observar é que toda a relação de Noé com Deus foi um resultado da graça divina sem igual. Sua posição como "um homem justo" e sua conduta, "Noé caminhou com Deus", são ambas produtos da graça divina, e não a causa daquela graça. Alguém deve dizer: "Mas a Bíblia refere-se a Noé como perfeito". Não, não se refere. Refere-se a ele como perfeito em suas gerações. Isso diz respeito à sua genealogia, não ao seu caráter (vs.9). Gênesis 5 e os versículos 9 e 10 de Gênesis 6 nos devem relacionar "as gerações de Noé". Nisso Noé é dito perfeito, não em sua conduta ou caráter.

Desse modo, devemos ver Noé como alguém que devia receber o julgamento e ira justa de Deus, assim como o resto de sua raça. Ele mereceu ser destruído tanto quanto eles, mas achou graça.

O julgamento da condenação eterna passou sobre todos da raça de Adão pois todos pecaram (Romanos 5:12). Cada um de nós que foi salvo e todo aquele que será salvo é exatamente como Noé. Merecíamos a condenação. O julgamento justo de Deus foi passado sobre nós e nada, exceto a vida, que é como um vapor que desvaneça, manteve-nos fora do inferno. Mas Deus escolheu mostrar-nos a graça e revelar-se a Si mesmo entre nós por meio de Sua Palavra e de Seu Espírito. Paulo fala deste modo de nós em Efésios 2:3-5, como "os filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia... nos vivificou juntamente com Cristo".

PERGUNTAS - A ESPÉCIE HUMANA SENTENCIADA À DESTRUIÇÃO

1. Qual foi o problema marital de Gênesis 6:1-2?
2. Quando esse problema começou?
3. O Espírito Santo estava afligindo o homem nesse ponto?
4. Deus advertiu em palavra antes de pronunciar Seu julgamento?
5. Deus é obrigado a advertir ou dar oportunidade para arrependimento?
6. Deus deu à espécie humana um tempo de graça?
7. Se sim, Ele advertiu pela palavra durante esse tempo?
8. Deus poderia estar falando para um homem em Gênesis 6:3?
9. Ele poderia estar dando ao homem uma mensagem de advertência ali?
10. Se sim, explique o homem, a mensagem e a advertência.
11. O que o Novo Testamento assim nos informa (se há alguma informação)?
12. Quais foram os objetos da destruição de Deus?
13. Quais foram os meios e o método da destruição?
14. É correto para nós sentir pesar por aquelas pessoas?
15. Em algum sentido isso foi injusto?
16. Noé era um homem de bom caráter?
17. Essa foi a razão para Deus tê-lo preservado?
18. Noé mereceu morrer com o restante?
19. Por que foi justo para Deus salvá-lo e não a todos?
20. Quantas pessoas Deus escolheu salvar do dilúvio?



Autor: Pr. Forrest Keenr
Fonte: www.PalavraPrudente.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Leia também

Related Posts with Thumbnails