quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Pneumatologia - O FRUTO DO ESPÍRITO

INTRODUÇÃO

Em Gálatas 5:17, nós encontramos que dentro do crente existem dois poderes contrários. O Espírito de Deus habitando em todos os crentes os conduz (vs. 18) no caminho da retidão. A carne (velha natureza) está claramente em oposição ao Espírito Santo e a nova natureza. Isto produz uma batalha constante na vida de todos os cristãos (Romanos 7:15-23), e os faz almejar a liberação da carne (Romanos 7:24-25; 8:23).

Paulo ensina que ambos poderes produzirão certas características e obras na vida de um indivíduo que se submete a eles (Gálatas 5:19-23). Mesmo que o "trabalho da carne" e o "fruto do Espírito" possam ser produzidos pela vida do crente, Paulo frisou claramente que os crentes são caracterizados pelos frutos do Espirito. A carne de um cristão não está morta mas foi crucificada (Gálatas 5:24). A "crucificação" e a "mortificação" são usadas na Bíblia para descrever a morte lenta e debilitada do poder da carne na vida de um Cristão. Aqueles cujas vidas são exibições constantes de trabalhos da carne não entrarão no reino de Deus (Gálatas 5:21).

I. A FONTE DOS FRUTOS DO CRISTÃO

Os crentes, as vezes, perguntam-se o porquê eles permanecem lutando contra a carne nesta vida. Não é Deus Quem nos ensina que todos o bens espirituais são dEle? Nossa velha natureza não produz nada além de espinhos e roseiras bravas. Tudo o que agrada a Deus em um Cristão deve ser chamado de "fruto do Espírito."

O Cristão pode produzir bons frutos somente em submissão ao Espírito Santo. Enquanto nós nos rendemos a Ele estas características são produzidas em nossa vida. Esta verdade é ilustrada pelo Salvador em João 15:4-5, pois Ele fala de Sua Pessoa como a "videira" e a dos cristãos como as "varas". Sem uma união espiritual com Cristo através do Espírito não haveria fluxo de vida para os filhos de Deus.

II. A IMPORTÂNCIA DO "FRUTO DO ESPÍRITO"

A importância do "fruto do Espírito" na vida de um Cristão pode ser vista comparando-os aos "dons do Espírito". Ambos são produzidos por Deus, contudo está claro que o "fruto do Espírito" são muito mais importantes, como prova da verdadeira espiritualidade.

A. Os "dons do Espírito" não oferecem nenhuma prova da salvação, porque em algumas ocasiões eles foram praticados até mesmo pelos não salvos - (Balaão, Judas). Os "Fruto do Espírito" porém, podem ser produzidos apenas pelas vidas daqueles que são guiados pelo Espírito Santo.

B. Os "dons do Espírito" podem ser usados como meio de glorificação pessoal ao invés de edificação. A natureza dos "Fruto do Espírito" previnem-se de abusos de fins egoístas (I Cor 12-14).

C. Os "dons do Espírito" são soberanamente dispensados por Deus, enquanto que todo Cristão pode produzir o "fruto do Espírito". Às vezes dons espirituais são colocados em vidas de orgulhosos e egoístas, enquanto que os frutos espirituais somente podem ser produzidos por consagração Cristã e submissão.

D. Amor (um Fruto do Espírito) é claramente visto como superior aos "dons do Espírito". (I Coríntios 12:31-13:13). Os "dons do Espírito" devem ser regulados pelo amor, ou eles não atingirão a sua finalidade determinada, que é edificar o povo de Deus.

Não deve ser interpretado que estamos desprezando os dons espirituais. Eles têm um propósito determinado por Deus. O ponto a ser lembrado é que os " frutos do Espírito" revelam nossa relação com Deus e formam nosso caráter Cristão. Sem a produção do Espírito de Cristo em nós pela submissão a Deus, tudo o demais tornar-se-ia em vão e nosso testemunho seria inútil.

III. A NATUREZA DO "FRUTO DO ESPÍRITO"

Em Gálatas 5:22-23, nós encontramos nove graças que são manifestadas como "frutos do Espírito".

A. Amor.
O amor é um afeto para com Deus e o homem. É produzido pelo novo nascimento (I João 4:7-8), e descrito por Paulo em I Coríntios 13:1-8. Somente quando somos controlados pelo Espírito de Deus podemos verdadeiramente amar.

B. Gozo.
Esse gozo santo vem por conhecer a Deus e crer em suas promessas. É necessário para o serviço cristão (Deuteronômio 28:47; Salmos 51:12-13), e é um atributo de cristãos cheios do Espírito.

C. Paz.
Essa é uma calma disposição da mente e do coração vinda da certeza de termos sido perdoados e sabermos que Deus pode satisfazer todas as nossas necessidades (Filipenses 4:6-7).

D. Longanimidade.
Essa é uma característica cristã que se caracteriza por não se sentir ofendido ou provocado facilmente.

E. Benignidade
Esse é um espírito amável e benevolente visto naqueles que caminham com Deus.

F. Bondade.
Esta é uma moral geral e excelente que não tem motivos secundários.

G. Fé.
Toda fé verdadeira é produzida pelo Espírito de Deus, seja a fé salvadora ou a fé exercida diariamente nas promessas de Deus quando surgem necessidades ou aflições.

H. Mansidão.
Esta é a disposição de conter-se em conseqüência de um reconhecimento de nossa própria depravação (Mateus 5:4-5).

I. Temperança.
Baseia-se no autocontrole e na moderação encontrados naqueles que vivem somente para a glória de Deus.

IV. A UNIDADE DO "FRUTO DO ESPÍRITO"

O autor lembra-se de ver um questionário aonde foi perguntado para os cristãos quais do "fruto do Espírito" eram manifestados nas suas vidas. Esta pergunta tem algumas implicações errôneas. Os crentes podem ter um dom espiritual, contudo nunca é o caso do "fruto do Espírito". Cristãos cheios do Espírito terão todos os "frutos do Espírito" porque a "mente de Cristo" (Filipenses 2:5) está neles. Assim que eles são controlados pelo Espírito de Deus tornar-se-ão como Cristo em todas as áreas do seu caráter.

Pode ser vista a unidade do "fruto do Espírito" pelo fato de que todos os frutos podem ser incluídos junto ao primeiro que é "amor". Em Romanos 13:8-10, achamos que o amor cumpre a lei. Todos os deveres do homem podem ser incluídos sob o comando de amar a Deus e o homem. Seria um estudo proveitoso para o estudante da Palavra de Deus meditar na descrição de Paulo sobre o amor em I Coríntios 13:1-8. O aluno logo veria que todos o "fruto do Espírito" são manifestados pelo amor.

CONCLUSÃO

A proximidade de nossa relação com o Espírito Santo é facilmente julgada pela manifestação do "fruto do Espírito" em nossas vidas. Ou a carne ou o Espírito está formando a base de nosso caráter no nosso dia-a-dia.



Autor: Pr Ron Crisp
Fonte: www.obreiroaprovado.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Leia também

Related Posts with Thumbnails