sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Pneumatologia - A OBRA DO ESPÍRITO SANTO NA INSPIRAÇÃO

INTRODUÇÃO

Hoje em dia, qualquer a menção ao Espírito Santo leva muitos a pensarem sobre aqueles que profetizam e falam em línguas entre os Pentecostais. Há multidões que atestam ter novas revelações e dons especiais de sabedoria e conhecimento. O autor regozija-se em contrapartida a tudo que nós temos: " mui firme, a palavra dos profetas" (II Pedro 1:19-21), que é a Bíblia. O Espírito Santo tem nos dado uma revelação tão completa nas Escrituras que Seu trabalho agora é a "iluminação" e não mais a "inspiração."

O autor fica entristecido ao ver homens tão consumidos pela asserção de profetas modernos enquanto a Palavra é O guia da verdade. A Bíblia parece uma ‘letra morta’ para aqueles que não têm orado sobre o Seu conteúdo, mas têm fome por algo ‘novo’. A Bíblia como um grandioso trabalho de revelação pelo Espírito é em todas as maneiras superior à :

A. Tradição - Mat. 15:1-9
B. Ciência - I Timóteo 6:20 (Mesmo a ciência verdadeira, que trata só de fatos, não pode aprofundar-se em áreas nas quais as Escrituras têm sido claras).
C. Fábulas - II Timóteo 4:4 (O Livro de Mormon dá nos um exemplo de fábulas modernas).
D. Ocultismo - Isaías 8:19-20
E. Operadores de sinais - Deuteronômio 13:1-3 (em Hebreus 2:3-4, vemos que os Sinais foram usados para confirmar a Palavra de Deus, Sinais mentirosos e maravilhas também são permitidos para enganar aqueles que não amam a verdade).
F. Falsos Profetas
G. Opinião - Provérbios 14:12

A obra do Espírito Santo na inspiração pode ser resumida na declaração que "cremos na inspiração verbal e plenária das Escrituras Sagradas." A continuação deste estudo examinará esta declaração.

I. INSPIRAÇÃO

Em II Timóteo 3:16, descobrimos que a Bíblia é um livro inspirado. A palavra "inspirada" é tradução da palavra grega theopneustic que Significa "sopro divino." Em II Pedro 1:21 aprendemos que os homens de Deus eram movidos pelo Espírito assim como o vento move um barco. Mesmo que as porções variadas da Palavra de Deus viessem por ditado (Êxodo 20:1), visão (Apocalipse 1:11), ou direção intima (Lucas 1:1-3), fica claro que tudo deve ser visto como A Palavra de Deus (Hebreus 4:12).

A inspiração nunca deve ser entendida como uma mera capacidade da inteligência humana. A inspiração assegura-nos que cada palavra na Bíblia representa os pensamentos do Espírito. Isto é provado pelas declarações feitas na Bíblia (II Samuel 23:2-3; Jeremias 1:9), e também pelo fato de os próprios profetas terem estudado seus próprios escritos, para saberem o que relatavam (I Pedro 1:10-12). A palavra "inspiração" enfatiza que as Escrituras vieram de Deus. Muitos falam de "homens inspirados" mas, a Bíblia foi inspirada e não os escritores humanos.

II. INSPIRAÇÃO VERBAL

Quando a palavra "verbal" é usada em conexão a palavra "inspiração", isso implica em as próprias palavras usadas nas Escrituras serem inspiradas. Ensinar que os escritores eram meramente ajudados por Deus ou que só as suas doutrinas eram inspiradas é o mesmo que não entender por completo a doutrina da inspiração.

As provas da inspiração verbal são muitas. Somos assegurados que o Espírito Santo ensinou "palavras" (I Coríntios 2:13). Nosso Senhor ensinou que todo jota e til nas Escrituras estão corretos (Mateus 5:18). Davi ensinou que as "palavras" do SENHOR são puras e seriam guardadas (Salmos 12:6-7). Outros testificaram que a inspiração recebida foi verbal (Jeremias 1:9; II Samuel 23:2). Paulo cria que cada palavra da Escritura era inspirada e isso fica entendido pelo fato de ele construir doutrinas sobre uma única letra da Escritura (Gálatas 3:16).

Nota do tradutor: Usamos o termo "Pentecostal" como adjetivo para nos referir não à uma igreja em particular mas à uma crença que tem em comum os dons. Em relação a igreja Católica, esse termo seria "Carismático". Outros grupos religiosos usariam o termo "renovação" para se referir ao que queremos nomear como "Pentecostal".

III. INSPIRAÇÃO VERBAL PLENÁRIA

O adjetivo "plenário" quer dizer ‘completo’ e deduz que a Bíblia é toda inspirada. A Bíblia não contém a Palavra de Deus em alguns lugares, mas ela é a Palavra de Deus na sua totalidade. Isto é declarado em II Timóteo 3:16, "Toda a Escritura é divinamente inspirada".

A Bíblia é inspirada verbalmente e plenamente vista pela posição do Senhor Jesus e Seus Apóstolos. Cristo usou todas as partes do Velho Testamento em Seus ensinamentos (Lucas 24:27), e citou livros tais como Jonas e Daniel que hoje em dia são atacados pelos críticos.. Em Atos 1:16 e 4:24-25 o Livro de Salmos é referido como a Palavra de Deus. O Apostolo Paulo cita tanto Moisés quanto Lucas como autoridades (I Timóteo 5:18)¹ Em II Pedro 3:15-16, achamos que Pedro vê as escrituras de Paulo como "Escritura". A igreja primitiva não sabia da "inspiração por grau" ou porções ‘não inspiradas’ da Bíblia. A Bíblia, toda, deveria ser crida como "soprada por Deus."

IV. A LIMITAÇÃO DA INSPIRAÇÃO

Tão importante quanto a inspiração verbal das Escrituras, é assegurar-se que somente as Escrituras são inspiradas. Expandir a inspiração além da Bíblia, para os dias de hoje, Significa minar as verdades da Bíblia como uma revelação completa. Temos o aviso para não aumentarmos nada na Palavra de Deus (Apocalipse 22:18). As afirmações de cada profeta moderno são ataques contra a própria Palavra de Deus.

CONCLUSÃO

Alguns têm declarado que para enfatizar o trabalho do Espírito Santo é promover fanatismo. Essa falsa conclusão tem sido trazida por aqueles que vêem a revelação do Espírito Santo fora das Escrituras. Quando alguém entende que o Espírito Santo completou Seu trabalho na inspiração, e agora está envolvido no abrir dos corações para o entendimento das Escrituras, fica livre de seu erro.

1. Neste versículo Paulo cita Deuteronômio e o Evangelho de Lucas. Moisés, quem escreveu o livro de Deuteronômio, foi o grande profeta reverenciado por todos. Foi ele quem guiou Israel para fora do Egito e escreveu os primeiros cinco livros da Bíblia. Sem a menor dúvida, a velhice dos seus escritos poderia impressionar os homens.


Lucas, por outro lado, era um homem mais jovem que Paulo e nem era um apostolo. O fato de Paulo reconhecer os escritos de ambos com igual autoridade prova nossa doutrina da inspiração.

Autor: Pr Ron Crisp
Fonte: www.obreiroaprovado.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Leia também

Related Posts with Thumbnails