quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Pneumatologia - OS DONS TEMPORÁRIOS

INTRODUÇÃO

Os batistas acreditam historicamente que alguns dons espirituais (e ofícios) pertenceram à infância da igreja do Senhor. Esse foi um resultado natural de posicionamento em relação a Bíblia. Eles a asseguraram como "única regra de fé e prática". Esta posição também foi defendida por protestantes ortodoxos.

Por outro lado o Catolicismo e a maioria dos cultos sempre reivindicaram possuir dons milagrosos. Profetas inspirados, novas revelações, curas milagrosas e sinais sempre foram ostentados por estes grupos. Em tempos recentes um movimento religioso chamado "renovação carismática" tem reivindicado que os dons milagrosos estão sendo re-restabelecidos em seu âmbito. Este movimento é agora interdenominacional e tem experimentado um crescimento tremendo.

Quando a ênfase moderna para milagres é examinada, pensamos que o caminho está sendo preparado para a vinda do Anticristo (II Tessalonicenses 2:8-12). A sua vinda será durante um tempo de grande ênfase aos milagres (Mateus 24:24; 7:22-23). Convém às pessoas de Deus examinar tudo com o holofote da Palavra de Deus.

I. OS NOVE DONS TEMPORÁRIOS.

Em I Coríntios 12:8-10, nós temos listados nove dons que foram possuídos peculiarmente pelas igrejas apostólicas. Estes dons (assim como o oficio de apóstolo e profeta) foram temporário. Nosso plano é definir primeiramente estes dons e então provar que eles não foram dados por Deus como um dom permanente.

A. A palavra de sabedoria.
Esta era a habilidade sobrenatural de tomar decisões ou não falar baseando-se em estudo ou premeditação, mas pelo trabalho direto do Espírito Santo na mente (Atos 6:8-10, Mateus 10:19-20). [Por que aqueles que reivindicam possuir este presente contratam advogados quando se envolvem em litígio?]

B. A palavra de conhecimento.
Esta era a habilidade de saber fatos e compreender situações em virtude de uma revelação direta pelo Espírito Santo (Atos 5:1-10, II Reis 5:25-26).

C. O Dom da fé.
Isto é o que nós chamaríamos de "fé milagrosa" (I Coríntios 13:2, Atos 3:1-9). Esta fé não era possuída por todos os crentes, mas era soberanamente dada por Deus segundo o Seu querer (I Coríntios 12:11). Não deve ser confundida com a fé salvadora, comum a todos os crentes.

D. Dons de cura.
Esta era a habilidade de curar à vontade (Atos 9:32-35). A cura foi executada como um sinal (João 10:38, Atos 4:29-30).

E. Operar os milagres.
Esta era a habilidade de fazer milagres como um sinal ou a confirmação de que a mensagem era de Deus (Hebreus 2:3-4).

F. Profecia.
Esta era a habilidade de receber e comunicar à outras pessoas mensagens ou doutrinas que vinham da revelação direta de Deus. A Bíblia foi escrita por profetas.

G. Discernir de espíritos.
Esta era a habilidade de discernir se aqueles que reivindicavam exercitar dons espirituais eram de Deus ou de Satanás. As igrejas primitivas não tinham um Novo Testamento completo para examinar os ensinos dos profetas.

H. Línguas.
Esta era a habilidade sobrenatural de falar em idiomas que não haviam sido adquiridos através de estudo (Atos 2:1-11). Isso aconteceu como um sinal (I Coríntios 14:22).

I. Interpretação de línguas.
Esta era a habilidade sobrenatural de interpretar aqueles que falavam em línguas (I Coríntios 14:27).

II. FATOS QUE PROVAM A NATUREZA TEMPORÁRIA DESTES DONS

Nesta seção desejamos provar a afirmação de que alguns dons eram temporários. Dizendo isto, precisa ser entendido que nós não estamos tentando provar que Deus não cura, faz milagres, ou conduz e ilumina o Seu povo. Todo crente regozija-se quando Deus ouve as suas orações. Há uma diferença, porém, entre Deus que cura em resposta a oração e em um homem que tem o dom de cura como um sinal. O que nós estamos afirmando é que esses dons que tinham a finalidade de autenticação ou revelação eram temporários. Deixe-nos olhar agora a algumas das razões e o por quê esta posição realmente é verdadeira.

A. As igrejas primitivas tinham necessidades especiais.
As igrejas apostólicas tiveram algumas necessidades que não são encontradas nas igrejas hoje, muito obviamente.

1. Ela não tinha o Novo Testamento completo, então teve a necessidade de várias revelações divinas.
2. Ela precisava de sinais para autenticar as revelações recebidas (Hebreus 2:3-4).

Nenhuma das razões dadas pelos Pentecostais modernos para nossa suposta necessidade de dons milagrosos são Bíblicas. Eles afirmam que estes dons farão da igreja mais espiritual, porém os dons necessariamente não tiveram este efeito na igreja apostólica (Compare I Coríntios 1:7 com I Coríntios 3:1-3). Eles reivindicam que: como as pessoas de Deus ainda adoecem, ainda precisamos de dons de cura. Isto revela a falta de entender que os dons de cura agiam como um sinal para os incrédulos. Deus ainda cura de acordo com a Sua própria vontade mas não como um sinal. Não há nenhuma razão Bíblica para que as igrejas com um completo e totalmente autêntico Novo Testamento necessitem destes nove dons milagrosos.

B. O testemunho da história da igreja.
A história da igreja confirma o ensino de que estes dons milagrosos foram limitados a tempos apostólicos (Hebreus 2:3-4). João Chrysostom (345-407 A.D.) o famoso pregador de Antioquia dizia em relação a I Coríntios capítulo 12. Este trecho todo é muito obscuro: mas a obscuridade é produzida por nossa ignorância sobre os fatos referidos e por sua cessação, sendo que os que aconteciam já não mais acontecem.

Os Pentecostais reivindicam que a carnalidade e a falta de fé são os responsáveis para que os dons deixem de existir. Isto porém contradiz vários fatos:

1. A igreja em Corinto era carnal (I Coríntios 3:1-3) contudo tive abundância de dons .
2. Os dons são soberanamente dados por Deus (I Coríntios 12:11). Se eles cessaram tratou-se da vontade de Deus que eles cessassem e não porque faltou fé nos crentes.
3. Cristo sempre teve igrejas sãs e elas teriam recebido estes dons se elas fossem disponíveis (Mateus 16:18).

C. O testemunho do Apóstolo Paulo.
Em I Coríntios 13:1-13, Paulo está revelando a importância do amor e a sua superioridade sobre outros dons. Provando a superioridade do amor ele declara algumas verdades interessantes relativas à natureza temporária dos dons milagrosos. Vejamos alguns destes fatos.

1. Em I Coríntios 13:10, é anunciado um princípio básico. Somos ensinados que o incompleto será substituído com a vinda daquilo que é perfeito. A revelação incompleta do vs. 10 será obviamente os dons milagrosos (vs. 9), e nós acreditamos que a Bíblia é perfeita. Sendo assim o vs. 10 ensina obviamente que o cânon completo do Novo Testamento seria superior e traria o fim dos dons milagrosos. Alguns tentaram evitar esta lógica dizendo "o que é perfeito" referindo-se à vinda de Cristo. Esta interpretação será rejeitada pelas seguintes razões:
a. "Perfeito" é aplicado a um objeto neutro. É difícil acreditar que Paulo referira-se a Cristo como um "o que".
b. O contexto não está tratando do retorno de Cristo mas diferentes graus para se completar a revelação:
(1) Revelação parcial dos dons espirituais (vs. 9)
(2) Revelação completa da palavra de Deus
(3) A escritura deve ser interpretada de acordo com seu contexto.
c. Em Tiago 1:25 a Bíblia é tida como "perfeita".

2. Em I Coríntios 13:11, temos a insinuação de que os dons milagrosos foram para os tempos da infância da igreja.


3. Em I Coríntios 13:8-13, Paulo parece comparar a permanência relativa da fé, esperança e amor com os dons milagrosos.
a. O amor nunca falha (vs. 8). Esta é uma graça que nós desfrutaremos até mesmo no Céu para sempre.
b. A fé e a esperança continuam, quando comparadas aos dons milagrosos (vs. 13, 8-10). Lembremo-nos porém que o amor ainda é superior a fé e a esperança, pois elas serão desnecessárias após o retorno de Cristo (Romanos 8:24).
c. Os dons milagrosos foram temporários (vs. 8). Eles não serão eternos como o amor e não continuarão até o retorno de Cristo como a fé e a esperança.

CONCLUSÃO

Uma vez entendido o real propósito dos dons milagrosos o estudante não deveria ter mais problemas para entender a natureza temporária dos dons temporários. Hoje em dia não há nas igrejas dons que envolvam uma revelação direta de Deus. Igualmente os dons de sinais que serviam para a confirmação de novas revelações têm cessado. Aqueles que acreditam que estes dons ainda estão em operação não podem dizer: "A Bíblia é exclusivamente nossa regra de fé e prática". Para eles a Bíblia é uma revelação em aberto. As igrejas Bíblicas acreditam por outro lado que a Bíblia é a completa revelação de Deus.



Autor: Pr Ron Crisp
Fonte: www.obreiroaprovado.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Leia também

Related Posts with Thumbnails