quarta-feira, 2 de março de 2011

[Soteriologia] QUAL É A DIFERENÇA ENTRE A LEI DE MOISÉS E O EVANGELHO DE JESUS CRISTO?

Paulo perguntou aos Gálatas: “Recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?”, Gálatas 3.2 e 10-11. Paulo ensina que os que não sabem a diferença entre a Lei de Moisés e o Evangelho, e pregam que tudo é a mesma coisa desde Gênesis até Apocalipse, estão debaixo da maldição. Porque ninguém guardou toda a Lei, e é a Lei do tudo ou nada. Como está escrito em Mateus 5.18, “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido”, e Tiago 2.10, “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos”. E é evidente que pela Lei ninguém será justificado diante de Deus. E quem não é justificado, logicamente é condenado. Em Romanos 4.5 Paulo disse: “Quem não pratica, mas crê nAquele (isto é em Jesus) que justifica o ímpio, a sua fé lhe é imputada como justiça, isto é, como se nunca houvéssemos pecado pois crê em Jesus. Ele nos considera inocentes, “Mas, se vós soubésseis o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício, não condenaríeis os inocentes”, Mateus 12.7. A Lei amaldiçoa porque não a guardamos, está além da nossa capacidade. Jesus nos inocenta por crermos nEle.

E Jesus ensinou esta outra diferença: Ouvistes que foi dito aos antigos “Não matarás,” etc. (isto é ‘não pecarás’) porque a Lei de Moisés, é a lei do tudo ou nada, Mateus 5.21. “Quebrantando alguém a Lei de Moisés morre sem misericórdia, só pela palavra de duas ou três testemunhas”, Hebreus 10.28 e Deuteronômio 17.2, 6. “Ouvistes que foi dito: Olho por olho, e dente por dente”, Mateus 5.38. “A alma que pecar, essa morrerá”, Ezequiel 18.4. Elias pediu fogo do céu e destruiu as almas; disse Jesus: “Eu porém vos digo: Não vim destruir as almas, mas salvá-las”, Lucas 9.54-56.

“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”; Lucas 19.10. “E disse Jesus a Seus discípulos: Vós não sabeis de que espírito sois”. Não há diferença para você entre destruir as almas e salvá-las? A Lei prega a destruição, O Evangelho prega a salvação em Cristo Jesus.

“Ora se teu irmão pecar contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele só. Se te ouvir, ganhaste a teu irmão, mas se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada. E, se não as escutar, dize-o à igreja, e se também não escutar, considera-o como gentio e publicano”, Mateus 18.15-17. Qual é a diferença? Entre a Lei de Moisés e a doutrina de Cristo? Leia este texto João 8.3-11, a lei manda matar a pecadora. E você é pecador? Jesus aplicou a Lei ou foi contra a aplicação da Lei? Ele aplicou o perdão e a salvação. Entre matar e salvar não existe diferença? Jesus pergunta aos escribas e fariseus: “É lícito salvar, ou matar?” Não existe diferença? E Jesus disse a pecadora: “Eu não te condeno, vai-te e não peques mais”. E a salvou. Você está vendo a diferença, ou continua com o véu no coração?

Aonde está a humilhação ou você é o dono da verdade? Os escribas e fariseus, dizem que a Lei de Moisés continuade Gênesis até Apocalipse. Porque até hoje o mesmo véu está posto no coração deles, II Coríntios 3.14-15. Cristo já tirou o véu, ou a ignorância do teu coração? Qual é a diferença? A Lei condena, Cristo, O Evangelho, salva. “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não pecarás”, Mt 5.33. “Eu porém vos digo”, Mt 5.34. O pecado continua no coração, porque a observação da Lei de Moisés não tirou o pecado. “Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados”, Hebreus 10.4.

Tudo continua imperfeito para os que estão debaixo da lei. “Ora, nós sabemos que tudo o que a Lei diz, aos que estão debaixo da Lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus”, Romanos 3.19.

“Porque o precedente mandamento é ab-rogado por causa da sua fraqueza e inutilidade (pois a Lei nenhuma coisa aperfeiçoou) e desta sorte é introduzida uma melhor esperança, pela qual chegamos a Deus”, Hebreus 7.18-19. Cristo Jesus, O Evangelho!

“Eis o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, João 1.29.

“O sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”, I João 1.7. Vale tudo estar debaixo da graça. Nada adianta estar debaixo da lei, pois isso é o mesmo que estar debaixo da maldição.

“Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las. E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé”, Gálatas 3.10-11. (E quem não é justificado, logicamente é condenado). Não estou com isso desprezando a lei. Ela cumpriu a sua missão até a chegada de Cristo, Gálatas 3.19 e Lucas 16.16.

Duração é o tempo em que uma coisa dura. “O fim da lei é Cristo”, Romanos 10.4. Fim quer dizer morte.

Infelizmente muitos discípulos de Cristo estão navegando com um pé apoiado numa canoa, e o outro na outra. Está faltando o toque divino, como está escrito: “Abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras”, Lucas 24.45. Esta é a diferença: a lei condena, mata, amaldiçoa, Cristo, O Evangelho, perdoa e salva.

Você ainda continua com um pé numa canoa e o outro na outra? Ou com o véu no coração, que não sabe discernir entre a lei e a graça?

Você é carente da verdade de Lucas 24.45: “Abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras”? Porque tudo isto é assim? Porque é da vontade e do agrado de Deus, que seja assim. Por ventura o oleiro não tem poder sobre o barro?

“E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele”; I Coríntios 1.28-29.

Efésios 2.14-15: Porque o próprio Cristo é o nosso meio de obter a paz. Ele fez a paz entre nós, os judeus, e vocês, os gentios, fazendo de todos nós uma só família, derrubando a muralha de desprezo que nos separava. Pela sua morte Ele acabou com o ressentimento rancoroso que havia entre nós provocado pelas leis judaicas que favoreciam os judeus e excluíam os gentios. Ele morreu para anular todo aquele sistema de leis judaicas. Depois, Ele tomou os dois grupos que se opunham um ao outro e os fez parte dEle mesmo. Assim, Ele nos combinou, para tornar-nos uma nova criatura, e finalmente houve paz. E tudo isto é assim, para que a preeminência seja dada a Cristo, Colossenses 1.15-18.

O primeiro em tudo, superior, sublime, só Jesus tem o primeiro lugar em tudo. Ele é a origem de tudo. Ele é a Única Verdade, o Único Mediador com a Sua natureza divina, e a humana. Cristo é Deus-homem, como está escrito: Mateus 1.23, João 10.30 e Colossenses 2.9, “Porque nEle habita corporalmente toda a plenitude da divindade”. Pleno quer dizer cheio, repleto, completo, perfeito.



Autor: Pr José Albergante
Fonte: www.obreiroaprovado.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

Leia também

Related Posts with Thumbnails