quarta-feira, 10 de outubro de 2012

[Cristologia] - JESUS TEM TODO O PODER


"E chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: E me dado todo o poder no céu e na terra"
Mateus 28:18.

INTRODUÇÃO:

Jesus foi crucificado. Ao terceiro dia ressurgiu dos mortos. Num período de quarenta dias encontrou-se com os Seus discípulos em várias ocasiões. Eles tinham a certeza de que Jesus tinha sido crucificado e sepultado, e agora estava vivo dentre os mortos. Eles o tinham visto. Tinham-lhe falado e tocado com as mãos. Ao fim de quarenta dias Jesus reuniu os discípulos. Ao falar-lhes proferiu as palavras que encontramos no versículo desta lição. "E me deu todo o poder no céu e na terra." Ele desejava que os discípulos compreendessem bem o Seu poder. Então, quando acabou de lhes falar, subiu ao céu. E os discípulos viram-no desaparecer entre as nuvens.
Os crentes não adoram um Salvador morto. Adoram o Filho de Deus ressurreto, vivo, todo-poderoso. Enquanto Jesus viveu na terra Ele mostrou o Seu poder de muitas maneiras e em várias ocasiões. Nesta lição vamos estudar algumas passagens nas quais Jesus mostrou o Seu poder.

JESUS TEM PODER SOBRE A NATUREZA

1. Vemos o Seu poder ao repreender os ventos e o mar. Mateus 8:23-27.
2. Vemos o Seu poder ao andar sobre o mar.João 6:17-21.
3. Vemos como teve poder para multiplicar cinco pães e dois peixes de tal forma que 5000 homens foram saciados. E, depois de todos terem comido, do que sobejou ainda encheram doze cestos. Jesus não só alimentou 5000 homens com dois peixes e cinco pães como ainda fez com que sobrasse mais alimento do que o existente no princípio. João 6:5-14.
4. Vemos o Seu poder ao ordenar à figueira infrutífera que secasse. Mateus 21:18-21.
5. Jesus não só teve poder para criar os céus e a terra, mas tem também o poder de preservar da destruição todas as coisas. O mundo em que hoje vivemos cairia em pedaços se não fosse o poder de Jesus. É nos permitido viver neste mundo, cada dia, pelo poder de Jesus. Colossenses 1:16-17.

JESUS TEM PODER SOBRE OS ESPÍRITOS MALIGNOS

A Bíblia ensina que há espíritos malignos que obedecem às ordens de Satanás. Mas ela também nos ensina que o poder de Jesus Cristo é muito maior que o poder de Satanás. A pessoa que está sob o poder de Jesus sai vitoriosa de todos os ataques do Maligno.
Há muitas passagens no Novo Testamento onde lemos que o poder de Jesus é maior do que o de Satanás e seus espíritos malignos. Vejamos uma dessas passagens. Leia cuidadosamente Lucas 8:26-40.Este trecho das Escrituras foi escolhido porque mostra perfeitamente como Satanás atua. O seu intento é destruir. Ele se opõe a Deus e a tudo o que lhe é agradável. Os demônios implantaram-se no coração desse homem para destruí-lo. Jesus expulsou-os pelo Seu poder. Então os demônios entraram numa manada de porcos que se encontrava perto e estes precipitaram-se de um despenhadeiro no lago e se afogaram. Sim, o poder de Satanás trabalha continuamente para destruir o que é bom.
Por outro lado, o poder de Jesus é disponível para auxiliar os que verdadeiramente desejam receber a Sua ajuda. Em virtude do poder de Jesus ser maior do que as potestades de Satanás, podemos receber o auxílio de que necessitamos.

JESUS TEM PODER SOBRE A DOENÇA

Muitos foram curados pelo poder de Jesus. Vamos considerar alguns casos:

1. A lepra era uma doença considerada incurável no tempo de Jesus. Em Marcos 1:40-43 lemos como um leproso veio pedir auxílio a Jesus e foi curado imediatamente.
2. Em Marcos 5:25-34 lemos a respeito de uma mulher enferma há doze anos. Ela havia consultado muitos médicos e dispendido todo o seu dinheiro à procura da cura para o seu mal. Ninguém podia ajudá-la. Mas ao tocar as vestes de Cristo sarou prontamente.

Há muitos outros casos em que Jesus curou os doentes, mas não vamos mencioná-los nesta lição. Há uma coisa que devemos conservar em mente, é que nunca houve doença que Jesus não pudesse curar Ele tinha todo o poder sobre qualquer enfermidade.

JESUS TEM PODER PARA PERDOAR PECADOS

Muitas vezes se faz esta pergunta: "Como posso receber perdão dos meus pecados? "Há pessoas que julgam obter perdão confessando os seus pecados ao sacerdote. Outros esperam receber perdão pelo fato de fazerem parte duma igreja. Há outros que pensam ser perdoados ao receber o batismo. A Bíblia ensina que não é por meio dessas coisas que obtemos perdão dos nossos pecados.
Só Jesus tem poder para os perdoar. Leia ainda Marcos 2:1-12. Dê maior atenção ao versículo 10. Jesus não disse apenas que tinha poder para perdoar pecados mas provou-o, curando o homem que lhe tinham trazido.
Se alguém procura o perdão do pecado pode estar certo de que só em Jesus Cristo há perdão Efésios 1:7; Atos 4:12; Atos 10:43.

JESUS TEM PODER SOBRE A MORTE

Leia as seguintes passagens das Escrituras: Mateus 9:23-26; Lucas 7:11-17; João 11:1-45. Em todas estas passagens lemos que Jesus deu vida a alguém que estava morto. Não tinham desmaiado apenas. No caso da menina ela já havia morrido há bastante tempo, tanto assim que os amigos tinham se reunido em sua casa e choravam com a família. O filho da viúva estava sendo conduzido ao cemitério a fim de ser sepultado. Lázaro tinha morrido há quatro dias e já estava sepultado.Uma de suas irmãs chegou mesmo a declarar que já cheirava mal Jesus mostrou o Seu poder sobre a morte, restituindo a vida a todos eles.
Regozijemo-nos porque confiamos e seguimos a quem é maior do que um grande mestre ou profeta. É Ele o Filho de Deus que vive e tem todo o poder no céu e na terra.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

[Livro] CRISTO, O MEDIADOR - W. Gary Crampton


 Livro: Cristo, o Mediador
Autor: W. Gary Crampton
Páginas: 55
Editora: Monergismo
Formato: PDF
Sinopse: Um estudo da Cristologia de Westminster.


[Livro] EM DIREÇÃO A UMA COSMOVISÃO CRISTÃ - Crampton & Bacon


Livro: Em Direção a uma Cosmovisão Cristã
Autor: Crampton & Bacon
Páginas: 42
Editora: Monergismo
Formato: PDF
Sinopse: Esse livro apresenta claramente uma cosmovisão cristã coerente, com implicações para todas as esferas da vida.


[Livro] CONSULTÓRIO BÍBLICO - Odayr Olivetti


Livro: Consultório Bíblico
Autor: Odayr Olivetti
Páginas: 28
Editora: Monergismo
Formato: PDF
Sinopse: Os textos (perguntas e respostas) reproduzidos nesse “livro” foram retirados do jornal Brasil Presbiteriano, edições de 2006.


domingo, 7 de outubro de 2012

[Livro] A CONSEQUÊNCIA DA SOBERANIA DIVINA - C. H. Spurgeon


Livro: A Consequência da Soberania Divina
Autor: C. H. Spurgeon
Páginas: 15
Editora: Projeto Spurgeon
Formato: PDF
Sinopse: Temamos e nos alegremos na Soberania de Deus; que não O desprezemos, mas nos acheguemos a Ele, pois Ele é o Rei.


[Livro] CONFRONTAÇÕES PRESSUPOSICIONALISTAS - Vincent Cheung


Livro: Confrontações Pressuposicionalistas
Autor: Vincent Cheung
Páginas: 83
Editora: Monergismo
Formato: PDF
Sinopse: Este livro aborda o papel determinativo das pressuposições em nosso pensamento, bem como apresenta uma exposição cuidadosa de Atos 17.


[Cristologia] JESUS É O ENVIADO DE DEUS


"E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória
como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade"
João 1:14.

INTRODUÇÃO:

Ao estudarmos João 1:1-14 lemos acerca do Verbo. Talvez você pergunte: "Quem é o Verbo? "O versículo que temos para decorar dá-nos a resposta. Lemos que o Verbo se fez carne e habitou entre nós. Sabemos assim, com toda a certeza que o Verbo é Jesus. Mas por que se chama a Jesus "o Verbo?" Para melhor compreensão vamos supor que você esteja pensando em seu coração qualquer coisa que deseja transmitir aos seus amigos. O que deve fazer? Deve falar com eles. Deverá usar da palavra para expressar o seu pensamento.
Deus enviou Jesus, o Verbo, a fim de transmitir ao homem a Sua mensagem. É Jesus que nos faz saber as coisas que estão no próprio coração de Deus. Jesus tornou conhecida a mensagem de Deus pelos Seus ensinamentos e pelos Seus feitos. Esta é a razão pela qual Jesus se chama o Verbo. Ele é o Verbo de Deus para todo o gênero humano em todos os tempos. Portanto vemos que o "Verbo" é um dos muitos nomes ou títulos de Jesus. Vejamos agora algumas das grandes verdades acerca de Deus e que nos são reveladas por Jesus como Verbo de Deus.

JESUS REVELA O VERDADEIRO CARÁTER DE DEUS

Jesus disse: "Quem me vê a mim vê o Pai" João 14:9. Muitos perguntam em seu coração: "Qual é o verdadeiro caráter de Deus?" É impossível descrever exatamente o caráter de alguém – principalmente quando esse Alguém é Deus.
Isto é exatamente o que aconteceu com Jesus. Deus permite que O vejamos em Jesus Cristo. Os profetas do Velho Testamento tentaram por várias maneiras revelar ao povo o verdadeiro caráter de Deus. O que diziam era verdade mas nunca foram capazes de dizer tudo acerca de Deus. Só se O vissem. Em Jesus Cristo o homem pode perfeitamente ver a Deus e compreendê-lo. Sim. Jesus é o Verbo de Deus para o homem, e assim o homem pode verdadeiramente conhecer o caráter de Deus

JESUS REVELA O PLANO DE DEUS PARA A SALVAÇÃO

No mundo todo as pessoas sentem necessidade de Deus em seus corações. Sabem que pecaram e que o pecado as afasta de Deus. E pensam: "Como posso ter novamente comunhão com Deus?" No seu esforço para um entendimento com Deus fazem várias coisas Alguns adoram espíritos ancestrais. Outros adoram ídolos. Outros oferecem sacrifícios vivos. Outros seguem os ensinamentos do homem. Nenhuma dessas coisas está certa. Se o homem deseja a salvação de Deus não deve seguir o seu próprio pensamento ou o pensamento de outro homem. Deve conhecer e seguir o plano de Deus.
Jesus é o Verbo de Deus para o homem, no que se refere ao verdadeiro caminho da salvação. "É falso todo plano de salvação que difere do que foi oferecido por Deus em Jesus Cristo". Jesus disse: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai, senão por mim" João 14:6.

JESUS REVELA A VONTADE DE DEUS EM RELAÇÃO AS VIDAS DOS CRENTES

Já vimos que Jesus é o Verbo de Deus que revela o plano da salvação de Deus ao homem. Jesus é também o Verbo de Deus para o homem que foi salvo para que possa saber a maneira como deve viver. O crente deve ler a Bíblia cuidadosamente. Deve estudar a vida de Jesus Verá que a vontade de Deus estava acima de tudo, na vida de Jesus. Quando Jesus pensou no grande sofrimento que iria suportar na Cruz, orou a Deus: "Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres" Mateus 26:39. Se houvesse maneira de escapar ao sofrimento da Cruz, Jesus a desejaria. Mas, muito maior do que o Seu desejo de eximir-se do sofrimento que se aproximava era o desejo de fazer a vontade de Deus. Porque Jesus colocou a vontade de Deus acima dos Seus próprios desejos, existe hoje para todos nós um caminho de salvação.
Devemos também nos lembrar disto. Jesus é o Verbo de Deus à humanidade. Ele não disse apenas aos homens que deviam obedecer a Deus, mas mostrou-lhes como deviam obedecer-lhe. Deviam colocar a vontade de Deus acima de tudo nas suas vidas.

JESUS REVELOU A VERDADE ACERCA DA VIDA DEPOIS DA MORTE

Um professor não pode ensinar coisas difíceis às crianças de primeiras letras. Elas estão começando a aprender. Portanto, deverão ser-lhes ensinadas, em primeiro lugar, coisas simples. Então, quando já souberem bem as primeiras verdades estarão prontas a prosseguir e a aprender grandes coisas. Assim no Velho Testamento são ensinadas as primeiras grandes verdades e essas verdades precisam ser bem aprendidas. Mas em Jesus adquirimos uma maior compreensão de Deus e das coisas eternas. Os ensinamentos referentes à vida depois da morte são muito mais claros no Novo Testamento do que no Velho Testamento. Jesus é o Verbo de Deus que nos tornou claras essas verdades.
Estudaremos mais sobre a vida depois da morte na 11ª lição deste curso. Entretanto, conservemos bem em mente que Jesus é o Verbo ou Palavra de Deus a nós. Se quisermos verdadeiramente saber acerca da vida depois da morte devemos ouvi-lo.

JESUS É A PALAVRA FINAL DE DEUS AO HOMEM

Uma vez revelada a verdade completa, não há necessidade de acrescentar mais nada. Deus tornou conhecida toda a verdade a respeito dEle, da salvação e do viver cristão em Jesus Cristo. Em Colossenses 1:15, lemos: "O qual é a imagem de Deus invisível". Deus revelou-se perfeitamente em Jesus Cristo.
Portanto, se alguém deseja saber a verdade a respeito de Deus deve aprendê-la de Jesus Cristo. Há pessoas que dizem: "Mas Deus revelou-nos mais do que está escrito na Bíblia. Temos a Bíblia e a verdade suplementar". ISTO É MENTIRA. A revelação do próprio Deus completou-se em Jesus Cristo.
Se a um quadro que foi primorosamente pintado se acrescentar ou tirar alguma coisa ficará prejudicado. Deus está perfeitamente retratado em Jesus. Sempre que alguém queira tirar ou acrescentar seja o que for à imagem de Deus que vemos em Cristo destruí-la-á.
Deus falou claramente sobre os que procuram modificar a Bíblia. No último livro da Bíblia torna-se evidente que todo aquele que pretende alterar-lhe o sentido não vem de Deus. "Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia. Deus tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa que estão escritas neste livro" Apocalipse 22:18-19.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

[Cristologia] JESUS ERA HOMEM SEM PECADO


"Porém (Jesus) em tudo foi tentado como nós, mas sem pecado"
Hebreus 4:15.

INTRODUÇÃO:

Jesus Cristo é Filho de Deus e também Deus. Nesta lição aprenderemos o que a Bíblia nos ensina a respeito de Jesus como ser humano.
Podemos ver que Jesus era, sob todos os aspectos, como nós, exceto no pecado. Se quisermos analisar a verdadeira natureza de Jesus chegaremos à conclusão de que Ele tanto é Deus como foi homem.
Suponhamos que alguém tenha na mão uma moeda. Sabe que é uma moeda. Sabe também que essa moeda tem duas faces. Assim pode ser comparada a natureza de Jesus. A Sua natureza era uma só, mas esta única natureza possuía duas faces: o lado divino e o lado humano.
Ao estudarmos a natureza humana de Jesus tenhamos também em mente a Sua divindade.

JESUS ERA HOMEM

Consideremos agora o que a Bíblia nos diz sobre Jesus. Este estudo mostra-nos que Ele também era homem.

1. Jesus nasceu de mulher tal como nós. Apesar de ter Deus como Seu Pai, foi concebido no ventre de Maria. Nasceu e cresceu como todas as outras crianças. Gálatas 4:4.

2. O corpo de Jesus era como o nosso. Sabemos isto pelas seguintes razões:

(1) Ele cresceu até a idade adulta tal como acontece com todos os outros homens. Lucas 2:52.
(2) Ele sentiu fome e sede como todos os outros Mateus. 4:2; João 19:28.
(3) Jesus também sentiu cansaço como os outros homens. João 4:6.

3. Os sentimentos de Jesus eram como os nossos:

(1) Ele sentiu um desgosto tão grande perante o espetáculo da morte dum amigo que chorou João.11:34-36.
(2) Sentiu compaixão pelos sofrimentos alheios Mateus.9:35-36.
(3) Sentiu tristeza e ira perante a natureza pecaminosa do homem. Marcos 3:5.

COMO HOMEM, JESUS FOI TENTADO COMO NÓS

Leia Hebreus 4:14-15.Nesta passagem Jesus é chamado o nosso grande Sumo Sacerdote. Ele foi tentado, digamos, sob todos os pontos de vista como nós. Não devemos pensar que a única vez em que Jesus foi tentado foi quando Satanás se apresentou para tentá-lo depois de ter jejuado quarenta dias e quarenta noites. Jesus foi tentado muitas vezes e de várias maneiras.
Uma vez Satanás chegou mesmo a tentá-lo por meio de Simão Pedro, um dos discípulos. Quando Jesus disse aos discípulos que em breve devia sofrer e morrer Pedro repreendeu-o. Pedro disse a Jesus que tal coisa nunca deveria acontecer. Satanás estava usando Pedro para tentar Jesus a evitar sua própria morte na cruz. Se Satanás tivesse conseguido evitar que Jesus morresse na Cruz não teria havido salvação para a humanidade. Jesus compreendeu perfeitamente o que Satanás estava tentando fazer por meio de Pedro. Por essa razão Jesus disse a Pedro as palavras que se encontram no versículo 23. (Leia Mateus 16:21-23).Todos devemos compreender isto. Há ocasiões em que Satanás se serve dos nossos amigos para impedir-nos de fazer a vontade de Deus.
Há outra coisa que devemos saber acerca das tentações de Jesus. Recusou usar do Seu próprio poder a fim de atenuar as tentações. Quando teve fome foi tentado por Satanás a transformar as pedras em pães. Jesus tinha poder para fazer isto. Jesus recusou utilizar o Seu poder para vencer as tentações de Satanás. Por quê? Porque assim Ele não teria sido tentado como nós. Não teria sido verdadeiramente o nosso substituto. Por exemplo, um homem que tenha roubado para comer podia tentar desculpar-se dizendo: "Sim, quando Jesus teve fome transformou as pedras em pães. Eu não posso fazer isso, mas satisfarei a minha fome, roubando.” Pelo fato de Jesus ter suportado as poderosas tentações de Satanás Ele também pode compadecer-se e compreender inteiramente as nossas tentações. Dar-nos-á também poder para resistir a Satanás, precisamente como Ele fez, se somente confiarmos Nele.

JESUS VIVEU UMA VIDA SEM PECADO

Leia as seguintes passagens das Escrituras:
Hebreus 4:15; II Coríntios 5:31; 1 Pedro 2:22. Este é o único particular pelo qual Jesus, como homem, foi diferente de toda a humanidade. Todos os homens pecam. Jesus não cometeu pecado.
Muita gente não sabe que há duas maneiras pelas quais podemos pecar. A primeira é fazermos o que sabemos ser o mal. A Bíblia fala-nos de certas coisas que Deus não quer que façamos. Quando o homem recusa fazer a vontade de Deus e faz essas coisas está pecando contra Deus. Vemos, pois que é pecado fazer o que sabemos estar errado.
A segunda é não fazermos o que sabemos ser o certo. Deus diz-nos as coisas que devemos fazer. Quando deixamos de fazer essas coisas pecamos contra Deus, Em Tiago 4:17 lemos: "Aquele pois que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado".
Quando dizemos que Jesus viveu sem pecado queremos dizer que Ele jamais fez o que era errado aos olhos de Deus. Queremos também dizer que Ele sempre fez o que era reto aos olhos de Deus. Nunca fez o mal. Nunca deixou de fazer o bem.

A IMPORTÂNCIA DE JESUS COMO HOMEM SEM PECADO

Em IICoríntios5:21vemos que Jesus, que não conheceu pecado, se fez pecado por nós a fim de que Nele fôssemos feitos justiça de Deus. Se Jesus tivesse pecado não poderia ter morrido em lugar do homem pecador. Teria de sofrer o castigo do Seu próprio pecado.
Por exemplo, suponhamos que dois homens tenham cometido um assassinato. Foram julgados e considerados culpados. Então um dos homens diria ao juiz: "Senhor, permita que eu morra em lugar do meu amigo". Logo o juiz responderia: "Não. Ambos são culpados. Ele deve morrer pelo seu crime e tu deves morrer pelo teu." O culpado deve sofrer pela sua própria culpa.
Sendo um homem sem pecado, Jesus pôde sofrer em nosso lugar, por nossos pecados.

[Cristologia] JESUS É DEUS

“No Princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus"
João 1:1.

INTRODUÇÃO:

Jesus é o Filho de Deus, mas, Jesus também é Deus. Talvez você esteja dizendo, "Não compreendo isto Como pode Jesus ser o Filho de Deus e também Deus?" Logo no princípio deste estudo devemos compreender claramente a seguinte verdade: Deus ultrapassa o nosso entendimento. O que sabemos acerca de Deus é tudo quanto Ele nos quis revelar. Não o conhecemos pela nossa própria inteligência. Em I Coríntios 1:21 lemos estas palavras: "o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria". O nosso propósito nestas lições é aprender o que Deus nos ensina na Bíblia com respeito a Jesus. Vemos que a Bíblia ensina realmente que Jesus é Deus.

A BÍBLIA DIZ-NOS COM CLAREZA QUE JESUS É DEUS

Vamos analisar duas passagens das Escrituras. A primeira é João 1:1 que é o versículo que temos para decorar nesta lição. Já aprendemos que o «VERBO» se refere a Jesus. Este versículo diz-nos: «E o Verbo era Deus.» Negar que Deus e o Verbo (Jesus) são um é negar a veracidade da própria Bíblia.
A segunda passagem é Romanos 9:5.Vemos a resposta dos israelitas de como receberam a Lei e as promessas de Deus. O que quer dizer, no que se refere à carne, que Jesus nasceu naquele pais. Noutras palavras, aos olhos dos homens, Jesus devia ser considerado israelita. Porém, e de maneira que todos possam compreender a verdadeira natureza de Jesus, foi acrescentado, no que diz respeito a Cristo, que Ele é sobre todos, Deus bendito eternamente. Não é apenas nestas duas passagens das Escrituras que aprendemos que Jesus é verdadeiramente Deus. Estudaremos outras que tornarão clara a Sua autêntica natureza.

O PODER DE JESUS PARA PERDOAR O PECADOMOSTRA QUE ELE É DEUS

O pecado opõe-se a Deus. Há muito tempo o Rei Davi, orando a Deus disse: "Contra ti, contra ti somente pequei” Salmo 51:4. Vamos ver que Jesus tinha poder para perdoar o pecado. Leia Mateus 2:1-12.Nesta passagem aprendemos o seguinte: Jesus disse ao homem que os seus pecados estavam perdoados. Os inimigos Dele diziam que só Deus podia perdoar pecados. Eles tinham razão. Por isso acusavam a Jesus de estar pecando visto estar exercendo uma autoridade que só a Deus pertencia. Jesus então curou o homem provando ao povo que possuía o poder de perdoar pecados.
Sobre este assunto vamos dar a seguinte ilustração: Suponhamos que existe uma casa que se encontra fechada à chave. Sabemos que há apenas uma chave em todo o mundo que pode abrir aquela porta. Nunca vimos o dono da casa, mas sabemos que só ele tem a chave. Se virmos alguém aproximar-se da casa, pegar uma chave e abrir a porta sabemos que é ele o dono da casa. Sabemos que só Deus pode perdoar pecados. Todavia, ao vermos Jesus com poder para perdoar o pecado sabemos que Jesus é Deus.

JESUS RECLAMA HONRA IGUAL A DE DEUS

Leia João 5:23. Neste versículo Jesus torna claro que todo homem deve honrá-lo como honra ao Pai. Se começar a ler desde o versículo 17 verá que os judeus queriam matar Jesus. Diziam que Ele ensinava ser igual a Deus, versículo 18. Se Jesus não fosse igual a Deus com toda a certeza tê-los-ia corrigido quanto ao seu erro. Assegurar-lhes-ia que estavam enganados e que não era verdade Ele afirmar ser igual a Deus. Jesus fez isto? Não. Pelo contrário Jesus disse-lhes que «Todo o homem deve honrar o Filho como honra o Pai».
Ainda, a igualdade de Jesus com Deus é ensinada com toda clareza em Filipenses 2:6. Este versículo diz-nos que Jesus era em forma de Deus antes de vir à Terra. Isto significa que Jesus, sendo na forma de Deus, esvaziou-se voluntariamente, tornando-se homem, servo e Salvador. Não perdeu, no entanto, sua divindade.

JESUS CONSENTIU EM SER ADORADO COMO DEUS

Em Atos 14:8-18 lemos que Paulo e Barnabé estavam pregando em Listra. Pelo poder de Jesus curaram um homem coxo. O povo que presenciou esse milagre quis adorá-los. Acreditavam que tendo eles tal poder, com toda a certeza Barnabé imediatamente corrigiram esse erro dizendo ao povo que eram homens como eles.
Quando o Apóstolo João teve a visão da Jerusalém Celestial e se prostrou para adorar o que falava com ele, foi-lhe dito que não devia fazer tal. Só Deus devia ser adorado Apocalipse 19:10.A pessoa que falava com João recusou ser adorada porque sabia que só Deus devia ser adorado.
Agora leia João 20:27-29. Depois da Sua ressurreição Jesus apareceu a Tomé. Quando Tomé compreendeu que Jesus verdadeiramente tinha ressuscitado dos mortos, disse: "Senhor meu e Deus meu". Jesus o corrigiu por chamá-lo Deus? Não. Jesus aceitou essa confissão. Assim fez porque era Deus.

DEUS ESTAVA EM CRISTO

Por vezes as pessoas não querem glorificar a Jesus como glorificam o Pai. Zombam, dizendo: "Se Jesus é Deus quer dizer que Deus morreu na Cruz". Isto é exatamente o que a Bíblia nos ensina. Em II Coríntios 5:19 lemos: "Deus estava em Cristo, reconciliando consigo o mundo".
Ainda, relacionado com este assunto, leia em Atos 20:28. Paulo, falando aos anciãos da igreja de Éfeso, dizia-lhes como deviam apascentar a igreja de Deus a qual Ele tinha resgatado com o Seu próprio sangue. Se você ler cuidadosamente esta passagem verá que Paulo está falando de Deus. Ele se refere à igreja como "A igreja de Deus" e depois acrescenta: "A qual Ele (Deus) resgatou com o Seu próprio sangue".


Há muitas coisas que nós não compreendemos. Quando olhamos o mundo e tudo o que nos rodeia podemos ver inúmeras coisas que estão além da nossa compreensão. Se não podemos compreender essas coisas que foram criadas por Deus, como pretendemos entender perfeitamente as coisas profundas de Deus? Contudo, podemos acreditar nas coisas que Deus nos ensina. Vimos que a Bíblia definitivamente nos ensina que Jesus é Deus. Talvez não possamos compreender tudo a esse respeito, mas podemos crer porque Deus nos ensinou. A maravilha está em que Deus veio à Terra, em carne, habitou entre os homens e morreu pelos seus pecados a fim de que tivessem a vida eterna por meio da fé Nele.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

[Livro] CONFISSÕES - Agostinho

Livro: Cativo à Razão
Autor: Agostinho
Páginas: 170
Editora: Monergismo
Formato: PDF
Sinopse: Um dos grandes clássicos da literatura cristã. Um livro para ler, reler e continuar lendo durante toda a vida.


terça-feira, 2 de outubro de 2012

[Livro] COMO ORAR - Martin Lutero


Livro: Como Orar
Autor: Martin Lutero
Páginas: 26
Editora: Sinodal
Formato: PDF
Sinopse: No presente escrito Lutero ensina os cristãos a compreenderem toda a sua existência como vivida diante de Deus.


[Cristologia] JESUS É O FILHO DE DEUS


"E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado,
em quem me comprazo"
Mateus 3:17

INTRODUÇÃO:

Há pessoas que dizem:
"Cremos que Jesus é Filho de Deus porque todos são filhos de Deus. Deus criou-nos a todos. E fé é o nosso Pai do céu".
Isto não é o que a Bíblia ensina a respeito de Jesus como Filho de Deus. A Bíblia ensina que Jesus é o unigénito Filho de Deus. Não há, nunca houve, nem haverá outro relacionado com Deus como é Jesus. Ele é eterno com o Pai.

JESUS NÃO TEVE PAI TERRENO

Leia cuidadosamente Mateus 1:18-25 e Lucas 1:26-35. Destas passagens das Escrituras aprendemos o seguinte: José e Maria estavam noivos. O anjo Gabriel apareceu a Maria e disse-lhe que ela teria um filho. Maria respondeu que isso era impossível porque era virgem. O anjo, porém, disse: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra, pelo que também o Santo que de ti há de nascer será chamado Filho de Deus. Quando José soube que Maria ia ter uma criança intentou desfazer o seu compromisso com ela, mas um anjo apareceu em sonhos a José e explicou-lhe que o que nela havia sido gerado era obra do Espírito Santo. Então José recebeu Maria por esposa, mas não viveram como marido e mulher até Jesus nascer. Vemos, pois, que Jesus não teve pai terreno porque Maria concebeu pelo poder do Espírito Santo.

O ANJO GABRIEL DECLAROU SER JESUS O FILHO DE DEUS

Leia ainda Lucas 1:35. Faça a si mesmo esta pergunta: "DE ACORDO COM AS PALAVRAS DO ANJO GABRIEL. QUEM É JESUS?" Vemos imediatamente que só há uma resposta-Jesus é o Filho de Deus. Pessoas há que levantam indagações acerca do nascimento de Jesus. Para o anjo que desceu do céu, cuja sabedoria ultrapassava a de todos os homens, não havia dúvidas. Ele sabia que Jesus era o Filho de Deus.

JOÃO BATISTA TESTIFICOU QUE JESUS É O FILHO DE DEUS

Veja João 1:29-34 e estude estes versículos da Bíblia. Deus enviou João Batista a fim de que o coração do povo pudesse estar preparado para receber Jesus, o Salvador prometido. Ele conclamava o povo ao arrependimento. Deus indicou também a João a maneira pela qual poderia reconhecer esse Salvador prometido. Como o conheceria? Quando João viu o Espirito Santo descer e repousar sobre Jesus soube que Ele era realmente o Filho de Deus (versículo 34).


O PRÓPRIO DEUS TESTIFICOU QUE JESUS É O SEU FILHO

As seguintes passagens ensinam-nos isto com a maior clareza: Mateus 3:16-17; Mateus 17:5; Marcos 9:7 e Lucas 9:34-35. Os discípulos compreenderam claramente ser a voz de Deus o que ouviam. Anos mais tarde quando Pedro relatou o que havia acontecido no Monte da transfiguração ele disse que Jesus recebeu honra e glória de Deus Pai. Eles ouviram a voz: "ESTE É O MEU FILHO AMADO, EM QUEM ME COMPRAZO" IIPedro 1:17-18. Deus queria que o povo compreendesse bem que Jesus era Seu Filho.

OS DEMÔNIOS TESTIFICARAM QUE JESUS É O FILHO DE DEUS

Há muitos exemplos na Bíblia em que os demônios reconheceram e confessaram que Jesus era o Filho de Deus. Vamos ver um ou dois destes casos. Leia Lucas 8:26-39. Nesta passagem os demônios testificaram que Jesus era Aquele que tinha poder para os destruir. Agora veja Marcos 1:23-27. Aqui o espírito imundo proclama ser Jesus o Santo de Deus. Note-se que Jesus o repreendeu e mandou que se calasse. Ele não queria que Satanás ou os que estavam possuídos de espírito maligno O proclamassem. Quem deveria falar de Jesus? Leia ainda Lucas 8:39. A vida deste homem tinha sido transformada pelo poder de Jesus. É a homens como esse que Jesus quer, hoje, como Suas testemunhas.

OS DISCÍPULOS TESTIFICARAM QUE JESUS É O FILHO DE DEUS

Veja Mateus 16:13-17 e João 6:67-69. Os discípulos tinham vivido com Jesus cerca de três anos. Tinham observado de perto a Sua vida. Ouviram-no ensinar as coisas maravilhosas de Deus. Viram que vive sem pecado. Viram os grandes milagres que Ele fez. Por isso sabiam que Jesus era verdadeiramente o Filho de Deus.

O PRÓPRIO JESUS TESTIFICOU QUE É FILHO DE DEUS

Quando Jesus estava sendo interrogado, diante do povo não foi possível encontrar testemunhas que pudessem provar que Ele era culpado. Então fizeram a Jesus esta pergunta: «ÉS TU O CRISTO, O FILHO DO DEUS BENDITO?». A resposta de Jesus foi franca: «EU O SOU» Marcos 14:60-62.Se Jesus tivesse dito que não era o Filho de Deus talvez a sua vida tivesse sido poupada. Mas Jesus recusou ocultar tão grande verdade. Queria que todos soubessem que Ele era o Filho de Deus.

A RESSURREIÇÃO DE JESUS TESTIFICOU QUE ELE É O FILHO DE DEUS

Muitas vezes Jesus disse aos seus discípulos, enquanto esteve com eles, que teria de morrer mas que ressuscitaria dos mortos ao terceiro dia Mateus 16:21; João 2:18-22; João 10:17-18. Os inimigos de Jesus também tiveram conhecimento disto. Eles fizeram todo o possível para evitar a ressurreição de Jesus. Puseram uma enorme pedra à entrada do túmulo onde o corpo de Jesus tinha sido colocado. A pedra foi selada. Mandaram soldados guardar a entrada. Que insensatez! A força do homem jamais impediria o trabalho de Deus. Jesus ressurgiu dos mortos precisamente como tinha anunciado. A Sua ressurreição provou que Ele tinha dito a verdade. Provou que era verdadeiramente o Filho de Deus. Romanos 1:4.
Sim, a Bíblia fala claramente acerca de Jesus. Ele era e é o Filho de Deus. Negar este fato é o mesmo que negar a Palavra de Deus. Aceitemos a verdade sobre Jesus e confiemos sempre Nele como Filho de Deus e Salvador.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

[Cristologia] - JESUS É O PROMETIDO DO VELHO TESTAMENTO


"A este dão testemunho todos os profetas, de que todos os que
Nele creem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome"
Atos 10:43.

INTRODUÇÃO:

Centenas de anos antes de Jesus nascer os profetas do Velho Testamento transmitiram a mensagem de Deus ao povo, dizendo que Deus enviaria um Salvador ao mundo. Não somente disseram que viria um Salvador mas também falaram de certos acontecimentos que ocorreriam na sua vida.
Consideremos por momentos o versículo acima, Atos 10:43. Segundo o que Pedro pregou a um grupo de pessoas. Deus declarou as palavras que encontramos em nosso versículo para decorar. Lembrou-lhes que todos os profetas tinham falado de Jesus e como a salvação do pecado podia ser obtida por meio da fé em Cristo.
Esta primeira lição será um estudo de algumas das profecias do Velho Testamento que dizem respeito ao Salvador prometido; vamos depois ver no Novo Testamento como essas profecias se cumpriram em Jesus Cristo. Ao fazermos este estudo devemos lembrar-nos também que os profetas do Velho Testamento viveram e falaram centenas de anos antes de Jesus ter nascido. Falaram, todavia, conforme as instruções que Deus lhes deu por meio do seu Espírito e as coisas que disseram passaram-se precisamente como tinham sido por eles preditas.

O LOCAL DO NASCIMENTO DE JESUS FOI PROFETIZADO
(Miquéias 5:2)

Miquéias predisse o local do nascimento de Jesus 700 anos antes do seu nascimento. Ao homem é impossível ter tão grande sabedoria. Ele o soube unicamente porque o Espírito de Deus o instruíra. Agora, leia Mateus 2:1-6. Sim, Jesus é aquele que cumpriu esta profecia do Velho Testamento.

FOI PROFETIZADO QUE HAVIA DE NASCER DUMA VIRGEM
(Isaías 7:14)

Sabemos que o nascimento de Jesus duma virgem foi devido à atuação do poder de Deus. Isto foi exatamente o que aconteceu. Em Lucas 1:26-35 lemos como Maria, que era virgem, foi escolhida para ser a mãe de Jesus. Apesar de José ser conhecido como pai terreno de Jesus, a Palavra de Deus ensina-nos claramente que José e Maria não viveram juntos, como marido e mulher, até Jesus nascer.Estudamos isto em Mateus 1:18-25. As palavras de Isaías  durante muitos anos, não tiveram cumprimento. Mas, no nascimento de Jesus tudo foi consumado tal como Deus tinha prometido por intermédio do referido profeta.

FOI PROFETIZADO QUE JESUS TERIA O ESPÍRITO DE DEUS
(Isaías 42:1)

Ao ler o Novo Testamento vemos que esta promessa feita pelo profeta Isaías foi realmente cumprida. Na verdade Jesus foi cheio do Espírito de Deus. O Espírito chamado pelo nome de Espírito Santo no Novo Testamento. Leia cuidadosamente João 1:32-34 e João 3:34-35.

A REJEIÇÃO DE JESUS FOI PROFETIZADA
(Isaías 53:3)

Por muitos anos o povo de Israel esperou por um Salvador em virtude das palavras dos profetas. Contudo, os israelitas não compreenderam a espécie de Salvador que Deus lhes enviava. Desejavam um Salvador que pudesse livrá-los dos inimigos terrenos e dar-lhes grandes riquezas e poder. O plano de Deus foi enviar Jesus a fim de que Ele pudesse salvar todos dos seus pecados. Deus sabia que Jesus recusando aceder aos desejos do povo falando-lhes acerca dos seus pecados e da necessidade de arrependimento, seria rejeitado e crucificado. A esse fato o profeta se referiu muitos anos antes, de forma que, ao consumar-se, o povo pôde compreender que em Jesus também tinha se cumprido esta profecia. No Novo Testamento podemos ver como os governadores e chefes religiosos odiaram a Jesus e finalmente o crucificaram.

FOI PROFETIZADA A ENTRADA DE JESUS EM JERUSALÉM
(Zacarias 9:9)

Esta profecia descreve com precisão a entrada triunfal de Jesus em Jerusalém - montado humildemente num jumento. Agora leia Mateus 21:1-9. Isto também aconteceu na vida de Jesus, precisamente como os profetas há muito tinham predito.

FOI PROFETIZADA A TRAIÇÃO DE JESUS
(Salmo 41:9)

Este versículo diz-nos que o traidor seria alguém muito íntimo de Jesus. Judas Iscariotes foi quem o traiu. Viveu como um dos seus discípulos durante três anos. Ele até pregava. Mas o seu coração não era reto para com Deus. Em João 12:6 vemos que durante esse tempo Judas roubava dinheiro. Por causa do seu amor ao dinheiro ele consentiu em trair a Jesus e assim se cumpriu a profecia do Salmo 41:9.A respeito do cumprimento desta profecia leia Mateus 26:14-16.

FOI PROFETIZADA A MORTE DE JESUS

Há tantas profecias no Velho Testamento sobre a morte de Jesus que não podemos estudá-las todas nesta pequena lição. No entanto, vamos considerar algumas. Primeiro, leia o que está escrito sobre a crucificação de Jesus em Mateus 27:29-50. Agora leia algumas passagens das Escrituras, no Velho Testamento, que predizem com exatidão os acontecimentos relacionados com a morte de Jesus:
1. O seu clamor a Deus. Salmo 22:1 e Mateus 27:46.
2. O povo escarnecendo e o desprezando. Salmo 22:6-8 e Mateus 27:39-43.
3. As mãos e os pés trespassados. Salmo 22:16 e João 20:25(Naquele tempo, quando um homem era crucificado as mãos e pés eram pregados à cruz sobre a qual seria pendurado).
4. Deitaram sortes sobre as vestes de Jesus. Salmo 22:18 e Mateus 27:35.
5. A sua morte na Cruz foi por causa dos nossos pecados. Isaías 53:6 e II Coríntios 5:21.
6. O seu silêncio ao ser acusado. Isaías 53:7 e Mateus 27:12-14.
7.Foi contado com os transgressores.Isaías 53:12 e Marcos 15:27-28.

A RESSURREIÇÃO DE JESUS FOI PROFETIZADA
(Salmo 16:10)

Agora leia Atos 2:22-27. O Apóstolo Pedro ao fazer a pregação no dia de Pentecostes mencionou este versículo de Salmos como prova de que Deus tinha prenunciado a ressurreição de Jesus. Quando Pedro acabou de transmitir a sua mensagem muitos compreenderam que em Jesus tinham se cumprido as profecias do Velho Testamento.Então creram que Jesus era realmente o Salvador prometido das Escrituras. Nesse mesmo dia cerca de 3.000 pessoas se converteram e aceitaram Jesus como seu Salvador e Senhor. Assim, receberam o perdão dos seus pecados e a vida eterna.

[Esboço para pregação] A ALEGRIA DO BOM PASTOR - Lucas 15.1-7

Leitura Complementar: Salmo 142

Há diferenças entre os quatro evangelhos do Novo Testamento. Diferenças no conteúdo e na maneira de dizer as coisas. Cada um dos evangelistas conta a história e a mensagem de Jesus a seu modo. Cada um enxerga o Cristo na luz específica que Deus lhe deu. Há diferenças tão acentuadas, por exemplo, entre Mateus e João, que os teólogos chegam a brigar sobre o sentido e até sobre a autenticidade de certas passagens.

Mas há um ponto, entre muitos outros, é claro, no qual os quatro evangelhos são totalmente unânimes e no qual não é possível nenhuma discórdia entre os que explicam a Bíblia. Tanto Mateus, como Marcos, Lucas e João atestam, como que unânimes, que Jesus atraiu a si os pecadores, as pessoas que por motivos morais eram rejeitadas pela sociedade, inclusive pelos líderes religiosos de seu tempo. Assim diz o nosso texto: "Aproximaram-se de Jesus todos os publicanos e pecadores para o ouvir. Publicanos eram empregados do governo, coletores de impostos, que tinham fama se serem corruptos e desonestos. E pecadores, bem, eram os que tinham pisado em falso, desde a mulher que tinha sido surpreendida cometendo adultério, até o vagabundo que vivia pelas estra¬das, depois de ter estragado sua vida no jogo e na bebedeira. Esta gente sentia um poder irresistível que os atraía e puxava para junto de Jesus. Nada semelhante acontecia no caso dos fariseus e dos escribas, os líderes religiosos dos judeus. Eles mantinham "esta gente" afastada de si e mostravam de forma bem clara o que estavam pensando deles. Com um pecador, um homem de bem não se metia. "Dize-me com quem andas e eu te direi quem és". E Jesus andava com pecadores. E os pecadores andavam com ele. Logo... Pois é. Não é difícil entender o que eles pensavam, porque, bem no fundo, a maioria das pessoas ainda hoje pensa como eles.

"E murmuravam os fariseus e os escribas, dizendo: este recebe pecadores e come com eles." Claro. Dize-me com quem tu andas e vou te dizer quem tu és. Não podia ser outra coisa. Como podia este Jesus ser o Cristo de Deus, se ele permitia que esta gente perdida se aproximasse dele, e até sentassem à mesa com ele?

E então Jesus lhes conta e história do homem que possuía cem ovelhas e chegou a perder uma delas. Que deixou no deserto as noventa e nove e foi à procura daquela que se tinha perdido. Que, depois de encontrá-la, a colocou sobre os ombros, cheio de alegria, reuniu os amigos e vizinhos e lhes disse: "Alegrem-se comigo, porque acabo de encontrar a ovelha que perdi". E depois Jesus lhes diz que da mesma forma vai haver alegria no céu por um pecador que muda de vida. Que até vai haver maior alegria por causa deste pecador arrependido do que por noventa e nove justos que não precisam arrepender-se, ou que acham que não precisam.

Nós todos, que nos criamos em comunidades cristãs, não ignoramos isso: Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores e perdidos. Mas nós temos ouvido esta mensagem tantas vezes, que nossos ouvidos já se tornaram meio surdos para ela. Nós pensamos: Sim, sim, é claro que ele veio para isso. Mas, na hora "h" acabamos não agindo como Jesus agiu. Os pecadores têm medo de nós, ou desconfiam de nós. As ovelhas perdidas se escondem de nós, e nós não vamos à sua procura. Não as fazemos sentir que estamos interessados nelas e que fazemos questão de que pessoas perdidas sentem à nossa mesa. 

Assim, antes de tudo, precisamos pedir a Deus que nos dê ouvidos abertos e corações que realmente compreendam e aceitem aquele ponto central do evangelho de Jesus Cristo, ponto central, como o centro de uma roda, pelo qual passa o eixo. Sem aquela abertura central, a roda não teria valor.

Que vem a ser uma pessoa perdida? Pensamos na famosa "ovelha negra da família". Pensamos em um rapaz que começou a beber e que virou cachaceiro. Pen samos numa moça sem-vergonha e leviana, pensamos em vigaristas, em "playboys", em andarilhos, em gente que fuma maconha. Isto está tudo certo. A pessoa que perdeu o respeito de si mesma, que leva uma via de parasita, que vive sem disciplina e sem ordem, é uma pessoa perdida. Mas a coisa não termina aí. Perdida é qualquer pessoa que não se encontra no caminho certo. Perdidas são muitas pessoas que acham que estão com os seus compromissos em dia; que estão com as malas bem arrumadas. Que adianta alguém ter as malas bem arrumadas, se está sentado no ônibus errado? Quem é perdido? Pensando bem, vamos ter que admitir que todos nós somos perdidos. É duro, mas é verdade. Por inclinação e por instinto, ninguém de nós procura nem encontra o ônibus certo. Guiando a viatura de nossa vida por nossos próprios palpites, poderemos estar certos de que erramos o nosso alvo. Vejamos: até as noventa e nove ovelhas que o pastor deixou no deserto para ir à procura daquele que se tinha perdido, no fundo eram ovelhas extraviadas também. Por quê? Porque, no momento em que seu pastor não estava com elas, eram ovelhas perdidas. Criaturas sem proteção. Sem certeza sobre o caminho a tomar. Não queremos explicar cada detalhe desta parábola, porque isto nem sempre dá certo. Mas eu penso que, quando "os justos" não se incomodarem, quando alguém se extravia, quando não acompanharem "o pastor" na procura do extraviado, eles também não passam de ovelhas perdidas. Estão elas no lugar onde está o pastor? Não estão. Pois então! O bom pastor Jesus Cristo está no lugar onde Deus quer que esteja. Quem não está com ele, está extraviado. Quem com ele não ajuntar, espalha.

Você pergunta: mas são tantas ovelhas, noventa e nove (ou meio milhão, ou cinquenta milhões...), e tão grande número de criaturas não pode errar. Pode, sim. Muitas ovelhas juntas também podem errar. É até um ardil especial do grande ladrão de ovelhas, o diabo, enganar o rebanho inteiro. Assim ele poupa trabalho. Se não fosse o Bom Pastor, que enfrenta o adversário, que chama e atrai as ovelhas desgarradas a si, que as protege contra as investidas do lobo, nenhuma ovelha se salvaria. Também você não se salvaria. Você e eu jamais nos vamos encontrar a nós mesmos, jamais vamos alcançar nosso alvo, se não formos encontrados por Cristo.

A parábola da ovelha perdida (melhor seria falarmos da parábola da ovelha achada!) mexe conosco em dois sentidos. Primeiro: ela ataca a nossa falsa segurança, nossa convicção de sermos pessoas de bem que a olhos vistos se distinguem das ovelhas negras conhecidas por todo o mundo. Ataca a nossa certeza de termos a "barra limpa", a consciência tranquila, por sempre termos levado uma vida ordeira e boa; de nos sentirmos cheios de nós mesmos, como aquele fariseu, descrito por Jesus na conhecida parábola, que agradeceu a Deus por não ser assim como os outros homens, "ladrões, injustos, adúlteros, nem assim como este publicano." Este é um ponto muito sério. O orgulho, a falsa confiança que a pessoa tem em si mesma, o farisaísmo mais ou menos escondido e camuflado, é o pior perigo que ameaça a vida do cristão. Jesus nos diz para nos cuidarmos do fermento dos fariseus. Ele sabe que tal fermento poderá estragar toda a massa. O orgulho perante Deus é o pecado do anjo revoltado, que quis ser como Deus e que levou os homens a quererem ser como Deus. O homem cheio de si mesmo, em realidade está vazio por dentro. Ele quer bancar um pequeno deus, e o que ele consegue é fazer um ídolo de si mesmo, ídolo que quer ser adorado, louvado, bajulado. Ele, que só ama a si mesmo, se torna mais e mais incapaz de amar a outros. Ele enche o seu vazio interno com amargura e com revolta. Vai culpando "os outros", a sociedade, os velhos, a juventude, e, bem por dentro, vai culpando o próprio Deus. Não foi bem isso que Adão fez, depois de cair na tentação da serpente que disse que seria igual a Deus? "A mulher que me deste por companheira, ela me deu, e eu comi". A mulher é a culpada. E tu, Deus, me deste a mulher. Logo, em realidade, és tu quem leva a culpa... Deus nos ilumine com sua verdade para que enxerguemos esta arapuca diabólica do farisaísmo. Deus nos livre do último vestígio do fermento dos fariseus, para que o bom fermento do evangelho possa crescer em nós.

E o segundo ponto: Jesus nos quer atrair para o lugar onde ele mesmo está. Não para um lugar seguro, em que não há problemas, mas para uma frente de combate, na qual o adversário é o lobo devorador, o mau inimigo, que quer destruir as pessoas, por dentro e por fora. Ninguém pense que entendeu o evangelho de Jesus, se não lhe doer no próprio coração a culpa de seu próximo. Ser salvo por Cristo dá vontade de salvar, de cooperar com Cristo em sua obra salvadora. E isso não permite que levemos uma vida acomodada, mesmo dentro de um rebanho grande e bem organizado. Não permite que condenemos o mundo, contentes por nós termos sido salvos. Lembremos que Jesus entrou na fila dos pecadores, ao ser batizado, e que foi aí mesmo que o Pai disse: "Este é o meu Filho amado em que me comprazo". Lembremos que Jesus morreu entre dois malfeitores!

Dize-me com quem andas e eu te direi quem és. Está certo. Só que você precisa olhar as coisas de um outro ângulo. É que Deus diz do pecador que anda com seu Filho e que crê nele: Se tu andas com meu Filho amado, eu te direi quem tu és. Já não és o homem perdido e condenado. Vejo em ti a imagem de meu Filho! Você compreende a alegria do pastor que põe nos seus ombros a ovelha que acaba de achar, chama os vizinhos e diz: "Alegrai-vos comigo, porque achei a ovelha que se perdeu?" Se você compreende, Deus seja louvado! Então você acaba de olhar para dentro do coração de Deus.

Oremos: Senhor, também nós muitas vezes pensamos que não vale à pena perder tempo com pessoas que não vêm à igreja, que levam uma vida desordeira e que voltaram as costas a ti. Muitas vezes, bem por dentro, achamos que somos só nós que merecemos a tua graça. Ó Senhor, salva-nos do farisaísmo; extingue em nós todo o falso orgulho. Desperta em nós o júbilo do Bom Pastor, que se alegra pela ovelha extraviada que voltou a seus braços. Amém.

__________
Autor: Lindolfo Weingärtner

[Livro] - CATIVO À RAZÃO - Vincent Cheung


Livro: Cativo à Razão
Autor: Vincent Cheung
Páginas: 102
Editora: Monergismo
Formato: PDF
Sinopse: Este livro é uma coletânea de breves artigos que tratam principalmente com filosofia e apologética cristã.


[Livro] - O CANIÇO FERIDO - Richard Sibbes


Livro: O Caniço Ferido
Autor: Richard Sibbes
Páginas: 98
Editora: Monergismo
Formato: PDF
Sinopse: Desde sua primeira publicação em 1630, “O Caniço Ferido” tem sido notavelmente frutífero como fonte de ajuda e conforto espiritual.


[Livro] COMENTÁRIO SOBRE OBADIAS - João Calvino

Livro: Comentário sobre Obadias
Autor: João Calvino
Páginas: 31
Editora: Monergismo
Formato: PDF
Sinopse: Excelente comentário do grande reformador sobre o livro do profeta Obadias.


Compartilhe

Leia também

Related Posts with Thumbnails